BLOG GERANDO DEMANDA
29jun/120

10 dicas para nao perder tempo com as Redes Sociais

1 – Seja seletivo nas suas redes – Quantidade de redes não é qualidade. Para que participar de redes sociais que não sejam relevantes? O ideal é focar nas principais redes onde seus amigos e interesses estão localizados. Eu por exemplo, uso apenas 4 redes (Facebook, LinkedIn, Twitter e Orkut -> nessa ordem de importância).

2 – Cancele e-mails de notificações – Todas as redes permitem configurar o aviso de recebimento de e-mails, o melhor é cancelar todos, assim você comanda a rede e acessa quando quiser, caso contrário vai ser difícil controlar a vontade de saber porque você foi “taggeado” na foto da sua amiga…

3 – Determine um foco nas redes – Quem tenta agradar a gregos e troianos ao mesmo tempo se complica com um dos lados. Crie uma estratégia para cada rede que você tiver, por exemplo, se você for utilizar o twitter para fins profissionais, não misture com coisas pessoais. Muitas empresas utilizam as redes sociais na hora de contratar um profissional e vai pegar muito mal se houver fotos suas, bêbado depois da balada. Mantenha coerência no perfil que você definir, com fotos, textos e comentários! Muita gente tem se queimado sem perceber por falta de estratégia!

4 – Determine horários – Eu não sou contra ver seu facebook durante o horário de expediente, sou contra o abuso desse uso. Utilize seus horários antes ou após o expediente e seu horário de almoço para caso queira acessar as redes no trabalho para fins pessoais. Eu costumo ver e responder minhas redes no final do dia, em casa.

5 – Siga poucas pessoas, mas relevantes – Para que seguir gente que não tem nada a ver ou que o conteúdo se tornou irrelevante? Faça uma dieta de pessoas que você segue, repare nos próximos dias quem não tem agregado valor e simplesmente deixe de seguir esta pessoa.

6 – Utilize agregadores – Existem sites e softwares que permitem centralizar suas redes sociais ou atualizar a partir de um único post. Eu tenho utilizado o tweetdeck que me permite atualizar meu facebook, twitter e linkedin de uma só vez. Um site que vale a pena dar uma olhada é o http://www.threadsy.com/ que junta e-mails e suas redes em um só lugar.

7 – Seja relevante nas suas redes – As pessoas gostam de seguir pessoas que fornecem um conteúdo relevante, na medida certa e com periodicidade. Aquele chato que “twitta” muito de uma vez só, acaba perdendo seguidores. E o que “twitta” posts dizendo que acordou de mau humor também não agrega.

8 – Aproveite seu tempo de espera – Eu gosto muito de atualizar minhas redes quanto estou no aeroporto ou esperando para começar um evento. Aproveitar esse tempinho é muito válido desde que seu celular ou tablet estejam habilitados para tal. Existem centenas de softwares para esses dispositivos que mandam muito bem!

9 – Rede social não requer “real time answer” – Não sinta-se obrigado a responder uma mensagem na mesma hora que a pessoa te enviou. Se fosse urgente de verdade, ela encontraria outra forma de falar com você. Se você cria esse péssimo hábito de responder assim que chega, além de acostumar mal as pessoas, vai perder muito tempo desnecessariamente!

10 – A vida existe lá fora – Não é porque a vida social se tornou digital que você vai se esconder atrás de um computador em seus relacionamentos. É preciso reservar um tempo para estar junto com os amigos e família presencialmente!

Por Christian Barbosa

fonte: http://blog.maistempo.com.br/2011/05/18/10-dicas-para-no-perder-tempo-com-as-redes-sociais/

22jun/120

Vai receber restituicao do Imposto de Renda?

Se este ano você vai receber restituição de IR, tenho uma boa notícia. Mas se não vai receber, também trago boas novas.

Faz alguns dias, a maioria de nós entregou a declaração do IR e muitos iremos receber restituição.

É justamente sobre esse dinheiro que quero falar com você. Gostaria de dar uma sugestão sobre o que fazer com ele. Quero lhe dar uma “força moral” para que não caia na tentação do consumo desnecessário e faça esse dinheiro trabalhar para você, para o seu futuro:

a) Se você já é um investidor, não perca um só segundo, tão logo receba, envie para o investimento que você sabe que obterá o melhor rendimento.

b) Se tem restituição a receber mais ainda não é um investidor, está diante de uma grande oportunidade de se tornar um. Esqueça qualquer desejo consumista e inicie seu primeiro investimento. Busque informação em mídias especializadas sobre que tipo de investimento remunerará melhor o valor que você irá receber de restituição.

Seja um poupador!

c) No caso de você ter dívidas, não hesite, esta é uma boa hora para quitá-las ou amortizá-las. Negocie com seus credores (clique aqui e obtenha um tutorial sobre como negociar dívidas) e saia do sufoco o quanto antes. Em seguida, torne-se um investidor. Viva sem dívidas e poupe!

d) Agora, se você não tem restituição a receber, este é um bom momento para refletir e tomar a decisão de tornar-se um poupador. Considere a possibilidade de todos os meses, separar um valor mínimo e guardar. Você se surpreenderá com o quão rapidamente suas reservas irão crescer. O importante é dar o primeiro passo.

Esta é uma época importante para você que tem e para você que não tem restituição a receber.

 Esta é uma grande oportunidade de passar a ter mais dinheiro.

Lembre-se: quem tem mais dinheiro, tem mais segurança emocional e portanto, mais qualidade de vida!

Por isso nosso slogan é: Guarde Dinheiro. Viva melhor.

 Desejo muito + $ucesso para você.
 Até breve

Junior Portare 

Palestrante & Autor | www.JuniorPortare.com.br

Jr@JuniorPortare.com.br

Guarde Dinheiro. Viva Melhor.

fonte: http://juniorportare.blogspot.com.br/2010_05_01_archive.html

20jun/120

Gerando Demanda em Goiania

18jun/120

5 dicas para NAO vender

Livro apresenta de forma bem humorada erros clássicos entre os vendedores e apresenta saídas para eles

Cansados de ouvirem profissionais lembrando apenas do que é certo fazer para ser um bom profissional na área de vendas, Claudio Diogo (especialista em vendas e consumo) e Eloi Zaneti (especialista em marketing) escreveram o livro Posso ajudar? 31 dicas para NÃO vender, em que reúnem erros clássicos da área de vendas que devem ser tratados como dicas essenciais para quem quer ser um vendedor de sucesso.

Entre essas dicas, destacam-se:

1) Posso ajudar?

Quem quer realmente ajudar não pergunta, simplesmente vai direto ao assunto. “Descubra o que trouxe a pessoa até você. Clientes, quando entram numa loja, já vêm com a imagem idealizada do produto que procuram. Se você descobrir isso, por meio de boas perguntas, já terá meia venda realizada. E vai fazer o seu papel – ajudar o cliente a tomar a melhor decisão para ambas as partes”.

2) Se não funcionar, pode voltar que eu troco

Tenha confiança em sua empresa e no que você vende e só assim vai passar confiabilidade em sua negociação. Faça com que os clientes tenham essas sensações ao comprar de você. Encante-os e inspire confiança que as chances de fechar a venda e conquistar um cliente fiel serão muito maiores.

3) Um minutinho querida…

Atender dois clientes ao mesmo tempo é um crime. Tanto para o cliente quanto para você. Ao ver um novo cliente entrando na loja, termine seu racioncíncio com o cliente um e na sequência aborde o cliente dois com um catálogo nas mãos, ou indicando um local onde ele pode observar a nova coleção, dizendo algo como: “Estou atendendo outro cliente, mas já vou me dedicar exclusivamente a você”. Além disso, você pode oferecer uma água, um café ou um chá para fazê-lo se sentir mais à vontade.

4) Claro que entregamos em dois dias

Ser honesto não é qualidade, é obrigação. Portanto, nunca construa um relacionamento com seu cliente baseado em uma mentira. Prefira perder uma compra hoje a perder um cliente fiel. Seja honesto com ele se não tiver a cor que ele deseja, se só tiver tamanhos que não são ideais para ele, produtos que não têm peças de reposição, etc. No futuro isso fará a diferença!

5) Posso fazer em três vezes

A pergunta do cliente foi “qual é o preço” e você respondeu “posso fazer em três vezes”? Saiba que esta não é a melhor forma de vender. Pesquisas revelam que mais de 85% dos clientes que perguntam o preço de um produto têm grande interesse em comprá-lo. Ou seja, talvez nem seja preciso fazer em três vezes. Antes de revelar que essa oportunidade existe, aguarde seu cliente pedir. Afinal, todo mundo prefere à vista!

Sobre Claudio Diogo

Vendedor, Bacharel em Administração de Empresas, Pós-graduado em Marketing, Pós-graduado em Propaganda, Especialista em Consumo. Conveniado com a American Marketing Association, possui extensão em Atendimento e Vendas na GM University (Detroit-EUA) e também na ASE Automotive Service Excellence (New Jersey-EUA). Já proferiu cerca de 600 seminários por todo o Brasil, África e América Latina e para aproximadamente 160.000 profissionais. Realiza consultoria na criação e desenvolvimento de métodos de vendas para inúmeras equipes de vendas no Brasil. Atua como colunista e articulista de Vendas e Marketing com inúmeros artigos publicados em conceituadas revistas e jornais do país. É o autor do sucesso editorial “V.E.N.D.E.R. Mais e Melhor”, co-autor do livro “POSSO AJUDAR? As 31 Dicas Para NÃO Vender” e autor no booklet “101 Dicas de Gerenciamento de Equipes de Vendas” pela Editora Quantum

Fonte: http://blog.vendamais.com.br/2012/05/14/5-dicas-para-nao-vender/

Categorias: Vendas Sem Comentários
15jun/120

Construa a sua Credibilidade…

A credibilidade pessoal é tão importante que sua personalidade, sua aparência e a opinião dos seus clientes e ex-clientes, podem fazer ou destruir uma venda. Uma deficiência em qualquer uma dessas três áreas pode ser o bastante para você deixar de fechar um negócio.

1.    Caráter: os clientes podem satisfazer o desejo de comer doce com um chiclete dietético em um dia e com um pote de sorvete em outro. É exatamente a mesma pessoa, mas, depende da situação, se comporta de forma diferente. A necessidade de cada cliente pode mudar a cada dia. Esse é um exemplo básico de mudança de necessidades, mas e quando estamos na frente de um cliente que não leva muito em conta os aspectos morais, qual a minha atitude referente a esses aspectos:

  • Tomo decisões com base no que é certo ou no que poderá “facilitar” a venda?
  • Mudo minha personalidade, meu discurso ou minhas atitudes de acordo com o gosto dos clientes só para levar vantagem diante dos meus concorrentes?

O caráter de um vendedor é mais importante que a sua competência, pois um lapso de competência pode ser aceito, agora um lapso de caráter causa problemas com extensas consequências. Tenha sempre em mente que é melhor você perder a venda do que perder sua integridade.

2.    Aparência: os clientes são muito visuais. Eles procuram pistas na sua aparência para determinar o quanto você é digno de confiança e competente e, através do que veem, julgam a confiabilidade e a capacidade do seu produto e da sua empresa. Uma enorme parte, 95%, da primeira impressão que você causa num cliente é proporcionada pelas roupas. Isso acontece porque as roupas cobrem 95% do corpo. A regra mais simples sobre o vestir-se bem é que nada deve distrair o cliente do seu rosto, da sua pessoa da sua conversa.

3.    Opiniões: você já deve ter recebido de seus clientes e-mails de agradecimento pelo esforço extra para atendê-lo; que estão satisfeitos com o produto e pelo excelente atendimento quando o produto esteve em manutenção. Tudo o que você disser ao seu cliente faz parte da sua argumentação verbal. Suas cartas e vídeos têm muito mais credibilidade do que tudo o que você possa dizer, pois as pessoas acreditam mais no que veem do que no que ouvem. Eu tenho utilizado, em todas as propostas que envio aos meus futuros clientes, uma lista de empresas onde já fiz palestra, gráficos de avaliação dos eventos, feedbacks que recebo por e-mail e links de vídeos com depoimentos. Nesses dois últimos casos, faço questão de colocar nome e o cargo, pois quanto maior o cargo, maior o respaldo.

Prof. Menegatti é palestrante nas áreas de Vendas, Motivação, Liderança e Inovação. Suas palestras têm como foco direcionar pessoas a despertar ao máximo seu potencial profissional e pessoal. É autor de vários livros e DVDs, entre eles estão o livro "Talento - É fazer coisas comuns de forma extraordinária" e o DVD "Campeão de Vendas".

Contatos: www.menegatti.srv.br - palestrante@menegatti.srv.br

Siga-nos: Twitter - @profmenegatti  --  Facebook - professormenegatti

Categorias: Vendas Sem Comentários
13jun/120

Falta tempo para o atendimento ao cliente

Se você fizer uma retrospectiva nos últimos 30 dias da sua vida, com certeza terá uma história para contar de um mau atendimento que você sofreu, seja em um serviço público, em um restaurante, em uma loja ou no call center de uma grande empresa. É impressionante a nossa capacidade em atender sem qualidade, sem paixão, sem respeito com as pessoas.

Nenhuma empresa está livre de problemas de atendimento, eles com certeza vão aparecer. O que diferencia o bom atendimento, é a capacidade em resolver o problema e reverter a impressão do cliente.

O problema não é apenas da empresa, mas também da pessoa que na ponta, não se preocupa em fazer um bom atendimento. Quantas vezes o corretor de imóveis, o corretor de seguros, o pessoal da agencia de viagens deixa de te dar um retorno, de enviar o que você pediu no prazo sem você precisar cobrar, de oferecer uma solução de verdade? As pessoas estão sem tempo para atender bem.

Outro dia eu fui em uma loja no Shopping D&D em São Paulo, comprar um sofá, simples assim. A menina ficou de enviar por e-mail no mesmo dia as medidas, prazo de entrega, cores, etc. Enviou? Não! Quando cobramos alguns dias depois nem lembrava meu e-mail. Perdeu a venda. Simples, né?

Um exemplo de excelente atendimento é o site Otel.com tive uma prova, quando reservei um hotel na Argentina com eles e tive de cancelar. No dia da viagem meu vôo foi cancelado devido ao problema do Vulcão e só teria disponibilidade para o dia seguinte, praticamente inviabilizando a viagem. Eu liguei para o hotel, expliquei a situação mas eles me avisaram que haveria uma multa de cancelamento, eu concordei e enviei a solicitação via o site Otel.com.

Alguns minutos depois me ligaram dos EUA para entender a situação e me dar uma solução. A menina checou a disponibilidade de vôos para mim em outras CIAs (mesmo não tendo vendido a passagem), negociou com o hotel e ficou fazendo follow up até ter a certeza de que eu não iria. No final, não tive de pagar o cancelamento e ainda ganhei um bônus para usar no futuro com eles. Excelente. Excepcional. Agora, tenta fazer isso com a Decolar que é exatamente o oposto de um excelente atendimento. Tenta falar com alguém da VIVO (a número 1 do péssimo atendimento no Brasil) para resolver um problema.

Cada vez mais eu vejo o quanto que a gestão de tempo tem tudo a ver com atendimento à cliente. Faltam para as empresas ferramentas (software de CRM não significa bom atendimento), métodos, critérios de priorização de atendimento, estratégias de gestão de tempo para a equipe na ponta com o cliente.

E para as pessoas que atendem, falta treinamento além do conhecimento técnico necessário a função, pois eles não sabem organizar, priorizar, planejar, “follow upar”, básica mas não sabem.

Eu vou voltar nesse assunto no futuro, mas se você atende pessoas, se você vende soluções e produtos, veja algumas dicas para ter um atendimento mais produtivo:

1 – Use uma ferramenta – seja uma agenda, um caderno, um software, você precisa de um lugar para registrar os dados do cliente e a próxima ação a ser feita para ele.

2 – Adote um plano de follow up – Cliente precisa de follow up, de saber que você sabe da necessidade dele. Cliente fica carente rapidinho sem atenção. Ao receber uma demanda, envie um e-mail agradecendo e diga quando terá uma posição. Planeje na sua semana, pelo menos 1 dia para essas atividades de relacionamento. Se não tiver uma solução, seja honesto mas informe.

3 – Conecte-se com seu cliente – Procure e adicione seu cliente nas redes sociais, principalmente no LinkedIn que tem foco no profissional. Saiba do que ele gosta, do perfil, o que ele faz. Ele vai ter a certeza de você está presente.

4 – Aprenda a priorizar – É fundamental saber quem é o cliente mais importante para a estratégia da empresa (e todos não é uma resposta válida). Você não vai deixar de atender quem não compra, muito pelo contrário, é seu trabalho convertê-lo em um bom cliente. O problema é quando você lota o seu tempo com quem não é prioritário e ai no final do mês o resultado não aparece.

5 – Assuma os problemas – O meu time de suporte técnico é sempre muito bem avaliado pelos nossos clientes, mas tem vezes que uma ou outra demanda foge do escopo de solução deles. Quando isso acontece eles me enviam um e-mail e na maior parte das vezes eu falo diretamente com o cliente, mando e-mail, explico, tento resolver ou devolvo o dinheiro investido conosco para que o cliente não tenha prejuízo. Eu não posso evitar que 100% dos problemas, erros, informações erradas deixem de existir, mas eu preciso dar 100% da minha energia para resolver o problema e ajudar o cliente. Não se esconda. Problemas acontecem, é a vida.

Aproveite o espaço de comentários e compartilhe suas boas e péssimas experiências com empresas. Dê suas dicas também!

Fonte: http://blog.maistempo.com.br/2011/09/14/falta-tempo-para-o-atendimento-ao-cliente-parte-1/

Categorias: Vendas Sem Comentários
11jun/120

Organizacao estrategica das gondolas aumenta a lucratividade

Muito mais do que um espaço onde os produtos são expostos, as gôndolas têm relação direta com o desempenho das vendas da loja. Por isso, a posição de cada item nas prateleiras deve ser pensada de forma estratégica e não aleatória.

“Com a expansão do modelo de auto-serviço no varejo, os lojistas precisam adequar suas lojas para oferecer funcionalidade, agilidade e comodidade ao cliente. Dentro desta estratégia, a organização das gôndolas é a principal aliada do ponto de venda”, explica o consultor de Marketing do Sebrae-SP, Wlamir Bello.

O consultor cita que 80% da decisão de compra se faz no PDV, o que ressalta o quanto a disposição correta dos itens nas prateleiras pode interferir no volume de vendas e giro de produtos.

Com larga experiência no assunto, o especialista em Marketing Antonio Pedro Alves, que já atuou no Grupo Pão de Açúcar, Wal-Mart, Avon, entre outras empresas, é categórico ao afirmar “o gerenciamento do planograma (organização dos produtos na gôndola) é essencial para o aumento das vendas, não importando o porte da loja”.

Lucratividade dos produtos

Para desenvolver uma organização estratégica dos produtos que potencialize as vendas, o lojista precisa em primeiro lugar estudar as categorias que estão presentes na sua loja, avaliando sua lucratividade, sua estrutura (produtos que a compõem), sua precificação, suas vendas e seu giro.

Após esta definição, o ideal é que o lojista privilegie na prateleira os produtos que geram lucratividade e aumento de transações (ticket médio). “Estes produtos devem ficar na altura dos olhos, assim os consumidores poderão ter mais contato com estes artigos, o que, conseqüentemente, aumenta seu giro e suas vendas”, afirma Antonio Pedro Alves.

Por exemplo, uma categoria de escrita fina poderá cumprir um papel de geração de lucro, ao passo que outra de cadernos poderá ter uma estratégia de geração de tráfego para a loja.

Neste sentido, produtos de alto giro não devem ficar na entrada da loja. “Os produtos que têm maior procura precisam ser expostos no fundo da papelaria, assim, para o cliente chegar até estes itens, ele terá que passar por outras prateleiras e ver os outros produtos que a loja oferece”, aponta Wlamir Bello, do Sebrae.

Promoções no lugar certo

Ações promocionais também devem ter lugares específicos na loja. Antonio Pedro Alves aconselha o lojista a separar os produtos em promoção na ponta das gôndolas, numa ilha ou em outros lugares de fácil visualização (cestões, por exemplo). “A função de uma promoção é despertar interesse dos consumidores, atrair novos clientes, liquidar produtos antigos ou estimular as vendas. Portanto, sempre devem ganhar destaque”, comenta o especialista.

Por outro lado, o varejista deve dosar bem a quantidade de promoções que pratica. Uma loja com uma quantidade excessiva de descontos e promoções pode acabar tendo dificuldades de lucratividade.

Negociar pontos importantes

Outra opção que pode potencializar a utilização das gôndolas é a negociação de pontos de alta visibilidade com as fabricantes. Segundo Antonio Pedro Alves, antes de negociar, o lojista deve avaliar o custo-benefício de vender ou alugar seu espaço. “De nada adiantará colocar produtos desconhecidos ou de baixo giro num espaço nobre. Sendo assim, é sempre importante analisar a proposta que está sendo oferecida. Se o produto tiver baixo apelo, baixo giro ou simplesmente não pagar o suficiente para merecer estar num lugar privilegiado, o negócio não deverá ser feito”.

Detalhes que não podem ser esquecidos

De nada adianta uma organização estratégica dos produtos se o lojista não se atentar a alguns detalhes fundamentais para a boa experiência de compra do consumidor. Todos os preços devem estar legíveis nas prateleiras; produtos de informática precisam ficar em locais espaçosos para que o atendente possa prestar informações, demonstrar o produto e fazer a venda consultiva; disponibilização de cestos de compras – se a tendência é auto-serviço, é preciso facilitar a vida do cliente; produtos complementares devem ficar próximos para incentivar a venda casada (mouse, teclado, webcam, por exemplo).

Os erros mais comuns

Os dois especialistas ouvidos pelo Lyderis listaram os erros mais cometidos pelos lojistas na organização estratégica dos produtos. Veja os principais:

- Não privilegiar produtos de baixo giro e maior margem

- Misturar segmentos distintos no mesmo planograma (organização dos produtos na gôndola)

- Não reavaliar o planograma periodicamente (aplicando mudanças e melhorias)

- Não medir o resultado de uma nova organização da gôndola

- Não observar o comportamento dos clientes durante a compra e sua interação com a gôndola

- Não colocar sinalização para indicar ao cliente como está organizada a gôndola

Fonte: http://www.lyderis.com.br/dicas-e-negocios/marketing/555-organizacao-estrategica-das-gondolas-aumenta-a-lucratividade