BLOG GERANDO DEMANDA
31jan/130

Sua empresa esta preparada para atender um orgao publico?

É preciso ficar atento a todos os detalhes burocráticos e se capacitar para trabalhar com o poder público

burocracia

 

Redação Lyderis

Trabalhar com um órgão público pode ser, em muitos aspectos, um exercício de paciência, isso porque a burocracia é grande e nem sempre um assunto é tratado apenas com uma pessoa, são vários níveis de decisão. Além disso, a documentação a ser apresentada pode parecer excessiva e os detalhes são importantes. A administração pública está sujeita a vários princípios e não pode deixar nada de lado. Requisitos formais são tão significativos quanto o mérito das decisões.

Atender um órgão público significa, em primeiro lugar, se informar a respeito dos requisitos que tal órgão impõe para a contratação. Dra. Márcia Walquiria Batista Santos, coordenadora pedagógica e de ensino do Instituto Brasileiro de Educação em Gestão Pública (IBEGESP) explica que “existem entidades públicas que exigem que as empresas providenciem um cadastro prévio, cumprindo exigências padrão impostas pela própria entidade. É o que se chama de certificado de registro cadastral. Para obter o cadastro é necessário fornecer uma série de documentos que comprovem a qualificação financeira, econômica e técnica da empresa”.

De acordo com ela, os representantes da empresa que terão contato com a administração pública precisam se capacitar para entender a ‘linguagem’ do administrador e os procedimentos comuns naquele órgão público. “A empresa deve conhecer os procedimentos adotados naquele órgão (se é municipal, estadual ou federal). Cada administração tem as suas leis e estas não podem ser deixadas de lado. Em geral, está tudo na lei, mas há órgãos que possuem procedimentos definidos em pareceres e orientações de seus órgãos jurídicos. Isso deve ser conhecido pela empresa”, esclarece.

O benefício em se trabalhar com um órgão público está no fato de ser o poder público o maior cliente no Brasil em número de recursos gastos com compras e contratações em geral. Já as dificuldades que podem surgir no meio do caminho trabalhando com um órgão público são várias, como o excesso de burocracia, as muitas exigências no que diz respeito a quantidade de documentos, a morosidade nas decisões, a dificuldade de ter acesso às pessoas que decidem dentro da administração pública e os pagamentos atrasados, sem previsão de multas contratuais.

“Depois de assinado um contrato administrativo, não existe a possibilidade de alterá-lo. Tem que se ficar muito atento, a empresa deve se capacitar. Atualmente, com a legislação cada vez mais rigorosa, não se admite ‘amadores’. As empresas concorrentes são as principais controladoras dos deslizes que as outras podem praticar e o treinamento dos funcionários das empresas é fundamental para diferenciá-lo no processo concorrencial”, ressalta a especialista.

Fonte: http://www.lyderis.com.br/dicas-e-negocios-hidden/gestao-de-rh/1710-sua-empresa-esta-preparada-para-atender-um-orgao-publico

 

30jan/130

Uma licao sobre a tragedia em Santa Maria – RS

Bombeiro pega celular em bolso de rapaz com 104 ligações de sua mãe. Rapaz consegue tirar amiga de dentro de boate e assim que chega lá fora sente seu coração parar. Um namorado manda um SMS para sua namorada dizendo: Amor eu sei que não vou conseguir sair deste incêndio mas só quero que saiba que vou te amar eternamente. Uma filha diz para mãe antes de sair: Te odeio. Um pai do lado de fora da boate vê sua filha gritando querendo sair e não pode fazer nada.

Conclusão: De valor às pessoas que te amam e que lhe dão valor. Antes que seja tarde. #SantaMaria

Por Miguel Falabella via Facebook

 

29jan/130

Surgiu um grande desafio em sua carreira? A saida e acreditar em voce

desafios

Quem responde com um problema pequeno não continua no processo de seleção. Eu quero trabalhar com pessoas que não fogem na hora da dificuldade.

Há cerca de uma década atrás, um jogador reclamou da pressão que era jogar no Sport Club Corinthians Paulista. Os jornalistas foram falar com o Wanderley Luxemburgo, o treinador na época, para saber o que ele achava disso. Ele respondeu: “Diga a ele que se estiver cansado dos problemas daqui, pode ir jogar em um time da segunda divisão”.

Vou repetir para ficar muito claro:

Problemas maiores = ascensão.

Problemas menores = decadência.

O mundo dos esportes tem excelentes exemplos de que enfrentar problemas é uma oportunidade para mostrar a força da sua alma.

Nessa mesma época, na final do torneio Rio-São Paulo, no final do jogo, o São Paulo estava perdendo, e o técnico pôs em campo o reserva do time amador. E o garoto jogou muita bola. Deu um show. Marcou dois gols, resolveu a situação do time e ganhou muito prestígio. O nome dele? Kaká.

Alguns meses depois, ele foi convocado para a Seleção Brasileira e foi campeão do mundo em 2002. O restante você conhece: uma história de sucesso construída em cima da capacidade de resolver problemas do treinador e do time.

Se Kaká tivesse vacilado e pensado que não era capaz de jogar bem, por estar entre profissionais, talvez nunca se tornasse o astro que é hoje. O time dos juniores era mais tranquilo, mas ele estava disposto a enfrentar problemas maiores.

Acredite em você quando as dificuldades aparecerem na sua carreira. Não tenha medo de enfrentá-las. Vá com tudo para cima delas!

por Roberto Shinyashiki

fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar/diante_de_um_desafio_acredite_em_voce.htm

28jan/130

Conta de luz ficara mais barata para os pequenos comerciantes

Dilma anuncia queda nas tarifas de energia de 18% para residências e de até 32% para as indústrias, comércio, agricultura e serviços

dilma-rousseff-reducao-de-tarifas-de-energia

Redção Lyderis e Agência Sebrae

A presidenta Dilma Rousseff disse ontem (23), em pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, que, a partir desta quinta-feira (24), a conta de luz dos brasileiros terá uma redução de 18% para as residências e de até 32% para as indústrias, agricultura, comércio e serviços. Proprietários de micro e pequenas empresas – aquelas que faturam até R$ 3,6 milhões por ano – já aguardam com expectativa as novas tarifas das contas de energia. Eles colocaram na ponta do lápis os impactos que os novos preços de energia vão representar para seus negócios. Mesmo quem já adotou iniciativas para diminuir o desperdício faz planos para o futuro com o dinheiro que irá economizar.

Dono de três padarias em Brasília, Cláudio Henrique de Faria acredita que poderá guardar por ano quase R$ 50 mil e que esse dinheiro virá em boa hora, pois todas as padarias terão que trocar seus equipamentos de acordo com norma do Ministério do Trabalho e Emprego de 2010, que estabelece regras técnicas para máquinas e equipamentos utilizados em diversos setores produtivos.

“Qualquer redução de custos é bem-vinda para incentivar o desenvolvimento dos negócios, ainda mais quando se trata de um item essencial como energia elétrica”, afirma o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. “O Brasil tem cerca de 63 mil padarias e quase a totalidade são micro ou pequenas empresas. Se levarmos em conta o exemplo desse empreendedor, estamos falando de uma economia anual de mais de R$ 1 bilhão somente nessa atividade”, completa.

Uso mais eficiente

A redução das despesas com energia elétrica pode se tornar ainda maior ao se levar em conta uma boa gestão do consumo. A substituição de alguns equipamentos, luminárias e lâmpadas de alto consumo por outras de baixo consumo e mais adequadas ao ambiente podem gerar uma economia em torno de 8% da conta de energia elétrica. O Sebrae orienta micro e pequenas empresas a adotar atitudes simples que podem reduzir significativamente o consumo de energia elétrica, ao mesmo tempo em que favorecem o meio ambiente.

Fonte: http://www.lyderis.com.br/dicas-e-negocios-hidden/credito-e-financas/1703-conta-de-luz-ficara-mais-barata-para-os-pequenos-comerciantes

 

25jan/130

Uma atitude muda tudo !!!

24jan/130

Catarinense recebe titulo de funcionario com maior tempo de registro em empresa

(...) Depoimento a NATÁLIA CANCIAN
DE SÃO PAULO

Folha de São Paulo - 24/01/2013

walter orthmann na empresa

Aos 90 anos, o catarinense Walter Orthmann só tem um registro em sua carteira de trabalho: desde os 15, ele nunca mudou de empresa nem parou de trabalhar. Na semana passada, ele recebeu o título de funcionário com o maior tempo de registro trabalhista em uma só empresa, pelo "RankBrasil", o livro dos recordes brasileiro. Agora, seus colegas planejam reivindicar o mesmo registro no "Guinness".

Hoje [ontem] estou em São Paulo. Na segunda vou para o Rio e, depois do Carnaval, fico três semanas no Nordeste. Viajo um terço do ano, como gerente de vendas, uma mala de amostras na mão e a minha, de roupas, na outra. Preciso visitar meus clientes.

Já estou com 90 anos. Na semana passada, quebrei meu próprio recorde pelo maior tempo de trabalho em uma única empresa: 75 anos. Nunca pensei em parar.

Quando comecei, em 17 de janeiro de 1938, o meu salário era em réis. Desde então, já passei por oito moedas diferentes. Na minha carteira, o meu salário é na casa dos milhões. Hoje, não vale nada [ri].

HISTÓRIA

Eu tinha 15 anos quando fui com minha mãe pedir um emprego na RenauxView [ex-Indústrias Têxteis Renaux]. Batemos na porta e, em seguida, um diretor nos atendeu e disse que eu poderia começar na segunda.

Meu primeiro cargo foi como auxiliar de expedição. Era das 6h às 18h, mas parava ao meio-dia. Enrolava tecidos, escrevia nas etiquetas. À noite, eu estudava datilografia.

Depois fui trabalhar como estafeta, o que chamam de office-boy. Naquela época tudo era feito em dinheiro vivo, que buscava para pagar aos operários. Ia com minha própria bicicleta até o banco.

Meu cargo seguinte foi em faturamento. Quando comecei, fazia tudo a mão. Não tinha máquina de calcular.

Em 1955, o diretor achou que eu deveria viajar e conhecer clientes. Na minha primeira viagem, fechei uma venda para as Casas Pernambucanas que fez a tecelagem trabalhar por um mês inteiro. Não parei mais de viajar.

Ia de ônibus para Rio e São Paulo. Depois, com o avião, passei a percorrer o Norte e o Nordeste. Ia de Porto Alegre a Manaus. Ainda hoje, o Nordeste é inteirinho meu.

A empresa tem clientes mais antigos que me acompanharam e fazem questão de serem atendidos por mim. Em muitos lugares, já estou na terceira geração. Comecei a negociar com o pai, depois com o filho e hoje o neto.

IGUAL AO PAI

Tenho oito filhos, cinco do primeiro casamento e três do segundo. Casei de novo aos 58 anos, com uma moça de 27. Meu filho mais novo, Marcelo, nasceu quando eu tinha 71 anos. Hoje ele tem 19 e começou a fazer estágio na mesma empresa em que trabalho, mas no setor de compras.

É igual ao pai, já quer trabalhar! As pessoas brincam com ele e perguntam: "Marcelo, você também vai ficar na empresa por 70 anos?".

Também convivi com todos os 12 diretores. Em 2006, mudou o controle e entrou como presidente o Armando [Hess de Souza]. Eu vendia tecidos para a mãe dele.

SEM E-MAIL

Acompanho todas as mudanças na tecnologia, na produção. Mas não deixo a máquina de escrever, que ainda uso. Nunca pensei em trocar por um computador. Hoje, computador é preciso, mas não quero pegar um. Já trabalho o dia todo e não quero me viciar nisso.

O mesmo vale para e-mail. Se eu tiver um e-mail, vou acabar olhando em casa e trabalhar à noite. Não dá.

Minha rotina é simples: acordo às 6h, tomo banho, depois como um mamão papaya, iogurte, tomo suco de laranja e um pinguinho de café. Mas sem açúcar, porque não é bom para ninguém.

Começo a trabalhar às 8h, faço pausa para o almoço e fico até as 17h. Mas nas viagens não tenho horário. Já cheguei a sair de casa à noite e chegar só no outro dia.

FÉRIAS

Eu me aposentei em 1978, mas perguntaram se eu não queria continuar a trabalhar. Eu era útil para a empresa.

Desde então, nunca pensei em sair. Se me aposentar, não vivo mais. Meus amigos que se aposentaram não estão mais comigo.

Trabalhar é saúde. Se ficar em casa, você fica doente. Ao mesmo tempo, no trabalho, você não pode ficar nervoso. É preciso trabalhar com alegria e fazer o que gosta.

Eu faço o que gosto. Conheço todos os tipos de tecido, todos os panos. Não gosto de tirar férias. Eu fico nervoso. Em casa, eu durmo tarde, acordo tarde, fico com o corpo duro de ficar no sofá.

Já recebi outras ofertas de emprego quando era mais novo. Uma empresa de Brusque ofereceu até o dobro do salário. Mas nem cogitei sair.

Quando fiz 70 anos na empresa, fiz questão de fazer uma festa. E disse no meu discurso: "Se Deus quiser, daqui a cinco anos estarei aqui novamente para comemorar".

E comemorei. Agora, o que vier é lucro. Vou trabalhar até a saúde me ajudar.

Fonte : http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1219661-catarinense-recebe-titulo-de-funcionario-com-maior-tempo-de-registro-em-empresa.shtml

23jan/130

Veja 5 dicas para planejar as vendas da sua empresa e lucrar mais em 2013

plano de vendas Estipular metas de vendas e estratégias para alcancá-las ajuda os empreendedores a aumentar sua receita e a prever gastos com mais eficiência. No entanto, segundo especialistas, o plano de vendas ainda é uma ferramenta pouco utilizada pelas micro e pequenas empresas. E a falta de planejamento pode criar dificuldades para o negócio. Para auxiliar empresários a elaborarem um plano de vendas, o UOL ouviu consultores e preparou cinco dicas. De acordo com o diretor do IBVendas (Instituto Brasileiro de Vendas), Mário Rodrigues, o setor comercial, normalmente, é a única fonte de renda da empresa, enquanto as demais áreas geram despesas. Daí a importância da criação de uma estratégia. "Uma empresa pode ter um produto rentável, mas as vendas demoram seis meses para deslanchar. Se ela não tiver planejamento para aguentar este período, pode quebrar. Ninguém planeja fracassar, mas muitos fracassam por não planejar", diz.

Empresário precisa conhecer tendências, clientes e mercado

Segundo Rodrigues, o plano de vendas é fundamental tanto para quem já tem empresa aberta como para quem pretende abrir. No caso do empreendedor que vai começar o negócio, o planejamento deve vir acompanhado do plano de negócios, que o ajuda a definir, por exemplo, qual será o preço dos produtos, as formas de pagamento e de distribuição. Com essas informações na mão, o empreendedor deve começar o plano definindo objetivos. Para isso, é importante olhar para a realidade do seus produtos e serviços e compará-los com as condições do mercado e tendências. Isso ajuda a empresa a encontrar a direção que sua estratégia de vendas deve tomar e realizar ajustes se for necessário. No plano de vendas, é importante o empresário resgatar seu histórico de comercialização (se a empresa estiver funcionando) e comparar com as tendências do mercado. Com base nessa análise, é possível prever metas e faturamento, além de identificar períodos de maior demanda. O diretor do IBVendas afirma ainda que é preciso também conhecer o público e o mercado antes de elaborar o plano. "Ninguém simplesmente compra produtos. As pessoas e as empresas os adquirem para satisfazer uma necessidade. O empreendedor deve entender o cliente e saber quais problemas ele quer que sejam resolvidos."

Início do ano pode ser útil para montar plano de vendas

Para Wagner Campos, diretor da True Consultoria e especialista em varejo, as empresas que ainda não fizeram o plano de vendas para 2013 podem aproveitar o mês de janeiro, quando a demanda diminui, para fazer o planejamento. Com mais tempo livre, o empreendedor pode se dedicar às pesquisas e levantamento de informações. Elaborar um plano pode ser simples. Segundo Campos, é comum empresários terem uma espécie de plano de vendas informal na cabeça, mas erram ao não o colocarem no papel. "Às vezes, surgem novas ideias e aquelas que não foram colocadas em prática acabam esquecidas. Por isso, alguns negócios têm resultados inferiores ao desejado", declara.

Planejamento deve ser revisado constantemente

Mesmo depois de finalizado, o plano de vendas necessita de atualizações periódicas. O ideal, de acordo com o consultor, é que sejam feitas revisões diárias ou, pelo menos, semanais. Se o final do mês estiver próximo e a meta de vendas estiver longe de ser alcançada, é sinal de que há algo errado. "Se o empresário não alcançar o objetivo, ele deve se perguntar se exagerou na meta ou se não está tendo êxito nas vendas e, a partir daí, fazer correções. O plano de vendas tem de estar vivo e ativo todos os dias"

VEJA 5 DICAS PARA ELABORAR UM PLANO DE VENDAS

venda03

  1. Defina objetivos : Coloque no papel onde a empresa quer chegar, o quanto pretende crescer e o que é preciso fazer para chegar lá.
  2.  Analise a situação : Para alcançar um objetivo, é preciso olhar para dentro do negócio e identificar o que pode ser útil. Da mesma forma, deve-se olhar para o mercado e identificar tendências a serem seguidas.
  3. Conheça o público-alvo : O empresário deve conhecer as necessidades do seu cliente e oferecer um produto que realmente o ajude a solucioná-las.
  4. Estude a concorrência: Procure saber quanto seus concorrentes vendem e qual o preço cobrado. Descubra quais necessidades eles não atendem e como é possível oferecer uma solução.
  5. Estipule prazos : Defina metas intermediárias que possam ser acompanhadas diariamente. Caso os objetivos não sejam alcançados, é hora de rever o planejamento.

Fonte : http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/01/09/veja-5-dicas-para-elaborar-um-plano-de-vendas-e-aumentar-receita-da-empresa.htm

Categorias: Vendas Sem Comentários
21jan/130

Por um 2013 diferente


2013 resoluçoes

Por Christian Barbosa

Para começar a pensar em um 2013 diferente, sugiro que reserve pelo menos uns 20 minutos para esse exercício. Pegue uma folha de papel, coloque na horizontal e escreva no topo 2012. Faça um T na folha e em cada espaço escreva:

- O que fiz e devo continuar fazendo

- O que fiz e não deveria mais fazer

- O que deixei de fazer e devo persistir em 2013

Faça uma lista de coisas para cada um desses espaços no T e, em seguida, releia os itens. Particularmente, sugiro que depois de escrever todos os itens, retome o exercício no dia seguinte, revisando tudo que escreveu.

Essa releitura dará um panorama geral de como foi seu ano anterior, das coisas importantes, das circunstâncias, das metas que podem ajudar 2013. Essa folha deveria ser anexada na sua agenda do próximo ano para que você tenha contato com as coisas que quer e as que precisam ser deixadas de lado.

Em outra folha ou no verso da mesma folha, pense nas coisas que gostaria de realizar em 2013. Coisas realmente viáveis e que possam começar e terminar no próximo ano (para facilitar o processo de planejamento). Depois de listar, faça um X nas metas que proporcionam simultaneamente à sua vida mais equilíbrio (bem estar, saúde, relacionamentos, etc) e resultados (finanças, carreira, bens, etc). Das que tiverem o X marcado, selecione apenas 2 e descreva pelo menos 10 ações práticas que te ajudarão a executar esse objetivo.

Quando planejo meu ano, eu gosto de escrever uma carta, fechar e deixar para abrir no meio do ano. Não tenho nenhuma pesquisa sobre isso, mas eu adoro ler aquilo que planejei e ver o que andou. Você pode tirar uma cópia dessas folhas e colocar na carta, pois a original deve ficar sempre com você.

Experimente fazer e compartilhe os resultados.

Só não vale deixar a vida correr frouxa, ou repetir 2012, pois isso se torna um hábito e quando você reparar está com 80 anos e reclamando das coisas que deixou de fazer. O tempo passa rápido para quem não controla as coisas que faz na vida!

Um excelente 2013!

Fonte : http://blog.maistempo.com.br/2013/01/02/por-um-2013-diferente/