BLOG GERANDO DEMANDA
28fev/140

5 dicas para desenvolver a empatia

empatia

Atualmente parece que todos estão falando em EMPATIA, de líderes empresariais a líderes religiosos. Empatia é o ato criativo de ver e entender as situações sob o ponto de vista do outro.
Você já pensou em praticar e desenvolver a empatia? Veja algumas dicas:

1. Aprenda a ouvir com empatia
Os relacionamentos saudáveis sempre passam pelo bom uso da empatia, e nós sabemos disso! Será que em uma discussão qualquer você nunca disse: gostaria que você entendesse o meu ponto de vista? Ou ainda: Coloque-se no meu lugar....

Saber ouvir com empatia é se concentrar com quem você fala, ouvindo seus sentimentos e suas necessidades e não apenas escutando o que ele diz. Todos, inclusive você, gostam de serem ouvidos e compreendidos.

2. Conversa com estranhos
Um bom treino para desenvolver a empatia é conversar com estranhos, procurando observar as suas emoções e a linguagem não falada. Minha sugestão é ir um pouco além daquela conversa inconsequente sobre o tempo, mas algo mais denso que proporcione uma pequena reflexão em ambas as partes. Elevadores, viagens aéreas, filas em geral, etc. são locais ideais para esta pratica.

3. Faça algo diferente
Você poderá aumentar a sua capacidade em ver sob o ponto de vista do outro se proporcionar a você oportunidades diferentes em sua vida, isto é, fazer algo diferente do usual. Exemplos: se você é uma pessoa metódica e organizada, em suas próximas férias faça uma viagem sem uma programação definida, utilize hostels ou pousadas. Por mais difícil que possa parecer para você, tire um ou dois dias por mês para ir ao trabalho de transporte público, deixe seu carro na garagem.... Faça como a maioria de seus funcionários...

4. Seja um “revolucionário”
Uma forma importante de aumentar seus níveis de empatia é juntar com outros para, juntos, realizarem trabalhos voluntários ou atividades para o bem comum. Seja um ativista em uma área que lhe agrade.
Atividades em grupo também são boas para aumentar o nível de empatia, seja um esporte coletivo, cantar em um coral, etc.

5. De asas à sua imaginação
Bons livros remetem a sua imaginação a lugares nunca antes imaginados. Filmes que tratam de características sociais diferentes de seu dia-a-dia farão com que você tenha uma nova visão da realidade. Algumas sugestões: Cidade de Deus, Hotel Ruanda, Historias Cruzadas e outros filmes que apresentem cenários e comportamentos diferentes do nosso. Alguns filmes indicados ao Oscar em 2014 são excelentes para este exercício, veja mais em  http://www.estacaofeminina.com.br/setima-arte/o-oscar-e-a-questao-humana

 

fonte : http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/5-dicas-para-desenvolver-a-empatia/75807/

21fev/140

7 dicas pra ter um bom relacionamento no trabalho

Quando o assunto é sucesso, postura profissional e boa relação com os colegas no ambiente de trabalho são aspectos fundamentais. Como a maioria das pessoas passa mais tempo na empresa do que em casa, com os amigos e a família, ter um bom relacionamento com todos aqueles que nos cercam é essencial para a nossa vida. De acordo com a psicóloga e consultora de treinamento e desenvolvimento, Meiry Kamia, atitudes simples como cumprimentar os colegas, trabalhar com bom humor e ter iniciativa – podem transformar positivamente o ambiente e tornar o dia a dia muito mais produtivo.

Confira sete dicas da especialista que podem ajudar na sua carreira:

1. CUMPRIMENTE AS PESSOAS.

Quem não gosta de ser recebido com um sorriso e um sonoro “bom dia”? Muitas pessoas, por chegarem cansadas, com sono, não percebem que não cumprimentam os colegas. Olhar nos olhos significa reconhecer as pessoas como seres humanos. Cumprimentá-las é um sinal de respeito, pois mostra que você as reconhece como seus semelhantes e mantém o caminho aberto para o contato. Não cumprimentar significa ignorar a presença do colega, e isso fecha qualquer tentativa de contato.

p11

2. TRABALHE COM BOM HUMOR.

Um sorriso traz leveza para qualquer ambiente de trabalho. É muito bom trabalhar com pessoas bem humoradas porque estão sempre sorrindo e são mais otimistas. O sorriso é um cartão de visitas que mostra que você está disposto e aberto ao contato humano. Uma cara fechada denuncia uma pessoa que não quer interagir, ou que está nervoso com alguma coisa, e isso, naturalmente, afasta as pessoas. Muitas vezes, o dia a dia do trabalho e as preocupações fazem com que as pessoas se esqueçam de sorrir, e as pessoas não percebem que elas mesmas acabam “contaminando” o ambiente com seu mau humor e preocupações.

p21

3. ACEITE AS DIFERENÇAS.

O grande problema dos relacionamentos reside nas diferenças. É difícil aceitar pessoas que pensam e se comportam diferentes de nós. Procure aceitar que as pessoas são diferentes porque possuem histórias de vida, valores e culturas diferentes e por isso podem enxergar o mundo de um jeito diferente do seu. Aprenda a se colocar no lugar dos outros e compreender seus pontos de vistas. Compreender o outro significa não julgá-lo, e aceita-lo mesmo quando ele não concorda com o seu ponto de vista.

p3

4. OFEREÇA AJUDA.

Tenha iniciativa. Se você perceber que um colega seu está com dificuldade e você pode ajuda-lo, não pense duas vezes! Ofereça ajuda! Aja com os outros da mesma forma como você gostaria que as pessoas agissem com você. É muito bom poder construir um ambiente de trabalho em que as pessoas colaboram umas com as outras. Então, comece por você!

p4

5. FIQUE LONGE DAS FOFOCAS. 

A fofoca muitas vezes contamina o ambiente de trabalho. Não faça parte de conversas que fazem comentários maldosos com relação a colegas de trabalho. Caso alguma informação chegue até você, pare e pense: “se você passar essa informação adiante as consequências serão positivas ou negativas?”, “isso melhorará ou piorará o ambiente de trabalho?”. Se a informação não for ajudar então não passe adiante. Deixe que a informação morra com você.

p5

6. TENHA UMA POSTURA MADURA. 

p6

Evite melindres, ou ficar na posição de vítima. Caso o seu departamento ou você mesmo tiver que enfrentar algum problema, faça-o de forma madura, sem chiliques, sem chororôs, sem buscar outros culpados. Baseie-se na realidade e foque na resolução dos problemas. É muito ruim trabalhar com pessoas emocionalmente imaturas.

7. SAIBA RECEBER E DAR FEEDBACKS.

p7

Para construir um bom relacionamento é preciso fazer ajustes, por isso saber dar e receber feedbacks é fundamental. Para alguns, receber feedbacks é mais difícil porque somos resistentes à críticas, por isso ele se torna um grande desafio. Reconhecer com humildade que é preciso melhorar em alguns aspectos é muito importante e fundamental para construir relacionamentos baseados na confiança. Saber dar feedbacks também é uma habilidade difícil pois poucos sabem como fazê-lo de forma assertiva e objetiva, de forma a promover o crescimento das pessoas. Mas a confiança advinda do hábito do feedback é base forte para bons relacionamentos e parcerias de trabalho.

Fonte : https://blog.99jobs.com/7-dicas-pra-ter-um-bom-relacionamento-no-trabalho/

17fev/140

A cultura da critica

Criticas[3]

Certa vez ouvi um empresário dizer que seu tratado de ética na empresa era composto por uma frase, e que se a mesma fosse cumprida grande parte dos problemas internos estariam solucionados. O tratado era este: “Nunca fale de ninguém que não esteja presente para ouvir seu comentário, sua crítica ou seu elogio”.

Simples e eficiente.

Porém, o que vejo por aí com bastante frequência (e muita preocupação) é algo completamente oposto a isso…

Vejo surgir nas empresas Brasil afora o que chamo de “a cultura da crítica”.

Como assim? 

Nestas empresas, dedos são apontados para todos os lados. As pessoas falam mal umas das outras, os times falam mal uns dos outros, a empresa é criticada o tempo todo; por todo mundo.

O processo é cíclico e de repente volta com muita força, desestabilizando profissionais, acabando com a autoestima e desestimulando a busca por bons resultados.

O pior é que as críticas na maioria das vezes não têm a intenção de construir uma nova realidade, mas sim de “destruir” alguma coisa – ou alguém. Ou seja, em grande parte as críticas têm um caráter muito mais pessoal do que efetivamente um objetivo nobre.

Como mudar isso?

Toda crítica deveria vir junto com uma sugestão, melhor seria se a sugestão viesse antes da crítica, e melhor ainda se existisse apenas a sugestão de como fazer melhor. Isso sim seria o melhor dos mundos e essa sim é a crítica de fato positiva. Pois aí estamos falando do mundo das ideias, do crescimento pessoal, profissional e empresarial.

Gostaria de propor, então, que você passasse a prestar muita atenção se sua empresa ou seu departamento não está sendo dominado por pessoas que usam a crítica como forma de inibir ou de poder. Se assim for, primeiramente não seja um incentivador dessa cultura da crítica. Depois, sugira que as críticas venham sempre acompanhadas de sugestões de melhoria e, aos poucos, acabe com este mal que pode acabar com uma empresa.

É a única forma de a situação não ficar crítica para você.

Marcelo Caetano

Fonte : http://www.marcelocaetano.com/cultura-da-critica/

11fev/140

Fazendo a diferenca

FAÇA A DIFERENÇA

Um dos maiores benefícios da Internet é, sem dúvida, a troca de conhecimento. Em meus artigos, tenho procurado expor minha experiência e meu ponto de vista e, de forma enriquecedora, tenho recebido e-mails de profissionais que contam sua própria experiência, solicitam esclarecimentos e produzem uma ampla reflexão de minha parte sobre o que realmente está incomodando o mercado.

Quando me perguntam o que pode ser feito para captar novos clientes ou recuperar os clientes inativos, enquanto acreditam estar fazendo tudo certo, minha resposta é sempre a mesma: não há uma solução única para todos.

Procuro ajudar propondo questões que façam as empresas refletirem sobre suas ameaças e suas oportunidades, seus pontos fortes e fracos. A partir do entendimento da situação, do estabelecimento dos objetivos a serem alcançados e do comprometimento da organização com o processo de mudança, torna-se muito mais fácil vislumbrar os caminhos que podem ser seguidos e traçar uma estratégia adequada a cada caso.

Mas há uma sugestão que dou a todos, não importando o ramo de atividade ou para que problemas buscam solução: façam diferente!

A percepção de valor dos clientes em relação a marcas, produtos ou serviços de uma empresa deve ser diferenciada em relação à concorrência. Se sua marca é percebida por seu cliente como tão boa quanto a do concorrente, ofereça motivos para que ele escolha a sua e não migre.

Pergunte-se:

Por que meus clientes escolheram minha empresa?
Por que meus clientes permanecem com minha empresa?
Por que meu s clientes abondonaram minha empresa?
Inicialmente você pensará nas respostas mais óbvias: qualidade, preço, atendimento, variedade, comodidade e hábito. Mas os serviços agregados aos produtos têm maior valor percebido do que apenas o produto oferecido. Já não mais se compram produtos na concepção física da palavra. Tudo o que os clientes compram são serviços capazes de atender às suas necessidades, que podem ser entregues por pessoas, empresas ou produtos. Entendendo isso, as empresas podem decidir o foco do seu empreendimento: orientar-se para os clientes, criando vínculos de envolvimento, ou para os produtos.

"Os clientes raramente compram o que a empresa pensa que está lhe vendendo." Peter Druker

O que sua empresa faz de diferente?

01 - Oferece um serviço que nenhum concorrente oferece? Ou faz exatamente o que todos fazem e fica brigando no quesito preço?
02 - É flexível e passível a mudanças ou os procedimentos são rígidos para todos os clientes?
03 - Ouve seu cliente? Você pode transformar um cliente aborrecido em um cliente fiel. E ele pode ser uma fonte de idéias revolucionárias.
04 - Está empenhada em resolver os problemas de seus clientes? Ou oferece a eles apenas a solução mais adequada para sua empresa?
05 - Surpreende seus clientes? Mais do que atender às necessidades e aos desejos de seus clientes, tente surpreendê-los, satisfazê-los acima de suas expectativas, deixá-los marcados com ótimas impressões sobre sua empresa e sua marca.
06 - Já experimentou ser cliente de sua própria empresa? Procure se colocar no lugar do seu cliente, em todas as situações que ele possa passar por um "momento da verdade" com sua empresa. Seja crítico e observador. Acima de tudo, seja honesto consigo mesmo e exija de sua empresa o mesmo que você exige em suas relações comerciais, como cliente.
07 - Aprende com seus clientes? Se você investe no conhecimento acerca de seus clientes mas não aprende nada com as informações obtidas, prepare-se para perdê-los para a concorrência. Relacionamentos duradouros são construídos na base do aprendizado, da confiança e do respeito.
Sua empresa se preocupa com o que a concorrência faz de diferente?

Depois de ter uma boa idéia do que sua empresa faz, não faz ou deveria fazer de diferente para conquistar e manter a lealdade de seus clientes, que tal dar uma olhada na concorrência?

01 - Quem são seus concorrentes?
02 - Seus concorrentes estão com problemas internos? (Em caso afirmativo, provavelmente os clientes estão insatisfeitos. Aproveite!)
03 - Sua empresa pode fazer pelos clientes deles mais do que eles fazem?
04 - Os clientes dos concorrentes estão predispostos a serem desleais?
05 - Estão vulneráveis às ações de sua empresa?
06 - O que os clientes deles compram e por quê?
07 - Os clientes estão pagando mais ou menos do que deveriam?
08 - Estão satisfeitos com o atendimento?
09 - Quais os valores percebidos pelos clientes em relação às empresas e às marcas?
10 - Os negócios de seus concorrentes estão focados nos clientes ou nos produtos? Quais suas estratégias de fidelização?
11 - Quais são as vantagens de sua empresa em relação a cada concorrente? E as desvantagens?
12 - Quais são as ameaças e as oportunidades que o mercado apresenta?
13 - Seu próprio cliente está na concorrência?

Fazer a diferença é um trabalho permanente de pesquisa, reflexão e criatividade. Não podemos nos deixar iludir por sucessos ocasionais. Algumas ações podem ter surpreendido os clientes e realmente ter feito a diferença - mas por um determinado período de tempo, até que a concorrência resolva copiar ou que deixe de ser uma surpresa. Não deixe seu cliente se cansar de você. E não dê chance à concorrência de surpreender os seus clientes antes de você.

Cristina Moutella. MBA em e-Business pela FGV/RJ. Consultora de Marketing e e-Business. Sócia-diretora da F&C Consultoria. e-mail: moutella@iis.com.br

Fonte : http://www.gerenciadordevendas.com.br/empresa/servicos/artigos/Artigo_014.html

Categorias: Vendas Sem Comentários
7fev/140

5 dicas rapidas para voce aprender coisas novas

Não importa em qual indústria você está ou a quanto tempo, você sempre pode sonhar um novo sonho! Nós não deveríamos parar de aprender e de adquirir novas habilidades nunca, porque essa é a única maneira de se conhecer realmente e desafiar suas próprias limitações. Nós te trouxemos algumas dicas para te ajudar com isso:

1. Comece a ler

A maneira mais fácil de se manter atualizado com a tecnologia e com o mundo. Comece a seguir blogs que te interessam mais. Leia artigos, comentários, interaja com outros usuários. Você precisa tornar a leitura um hábito diário. Ela não te mantém apenas atualizado mas também melhora as funções cognitivas do seu cérebro e a sua memória, fazendo com que você se lembre com mais facilidade do que estiver aprendendo. Caso você não conheça, existem alguns softwares que podem ajudar a melhorar suas habilidades cerebrais.

l1

2. Cursos e tutoriais online

Há centenas de sites que fornecem uma grande fonte de tutoriais para aprender uma habilidade específica. Se você é um programador, pode ser útil aprender algo sobre design de websites. Navegue em websites como o TutsPlus que possui uma vasta rede de tutoriais que te ensinarão a fazer várias coisas detalhadamente.

l2

3. Assista vídeos

Eles são a maneira mais fácil e divertida de aprender alguma coisa, basta ir ao YouTube e procurar uma vídeo-aula. Os vídeos são melhores do que os artigos porque eles te mostram exatamente como fazer alguma coisa, além de manter um nível de conexão maior com que está te ensinando algo.

l3

4. Pesquise

Você talvez queira adquirir um conhecimento mais profundo sobre as habilidades que você já possui. Bem, há uma página da Wikipedia para quase tudo. Use o Google e pesquise maneiras de melhorar suas habilidades.

l4l4

 

5. Faça parte de um grupo

Às vezes, websites, vídeos e artigos não conseguem te ajudar tanto quanto um amigo ou um mentor. Se você já possui alguém que pode te ajudar a aprender algo, convença-os a te ensinar coisas novas. Você também sempre pode aprender com o erro das outras pessoas, para que você não os cometa novamente.

Enfim, continue sempre praticando e buscando aprender cada vez mais. É um exercício para a mente e um descanso para a alma. E se há algo que ninguém pode tirar de você, é o seu conhecimento.

l5

 

Fonte : https://blog.99jobs.com/5-dicas-rapidas-para-voce-aprender-coisas-novas/

6fev/140

Dicas de Vitrinismo e ambientacao que encantam os consumidores

Supervisora de Visual Merchandising da Imaginarium revela os truques de vitrinismo e ambientação que encantam os consumidores

Veja como montar uma vitrine temática eficiente para o período de compra de material escolar

Por Mariana Machado

Quando o assunto é decoração de vitrine e ambientação, poucos estabelecimentos conseguem encantar tanto o consumidor quanto a Imaginarium – rede de lojas de presentes, papelaria, moda e eletrônicos. Qual o grande truque? Mexer com as emoções humanas.

“As decisões de compra baseiam-se principalmente em emoções. Uma vitrine eficiente impacta visualmente seu público-alvo e valoriza os produtos de uma marca, gerando desejo e criando uma conexão entre a marca e o seu público”, explica Lucia Mondadori, supervisora de Visual Merchandising de toda a rede Imaginarium. Segundo a especialista, a vitrine – juntamente com a programação visual no interior da loja - é o melhor investimento em termos de custo x benefício que o varejista pode fazer, “estudos comprovam que um produto exposto na vitrine aumenta sua venda em pelo menos 30%, podendo chegar a 70% de incremento”, afirma ela.

Para fisgar o consumidor

vitrine imaginarium

Para que a vitrine encante o consumidor a ponto de fazer entrá-lo na loja, ela precisa contar uma boa história através de cores, dos elementos gráficos e da iluminação. Cada produto exposto se comporta de maneira diferente, de acordo com a sua forma e função. Há produtos que necessitam ser expostos em painel, como um relógio de parede por exemplo, outros, mais volumosos, se comportam bem diretamente na base da Vitrine. O varejista também não pode esquecer que acabamento impecável e limpeza são fundamentais.

Outro ponto determinante, e um dos que mais geram dúvidas nos lojistas, é o mix de produtos para a composição da vitrine. “A seleção dos acessórios de vitrine e a criação do cenário dependem, antes de tudo, da escolha do mix de produtos para cada momento do mercado. Nas datas sazonais, como o Volta às Aulas, a procura por produtos temáticos é grande, portanto deve-se dar grande destaque a estas coleções. Outro motivo para o grande destaque é o caráter sazonal destes produtos, que encontrarão grande dificuldade em serem vendidos após o término das datas especiais”, alerta a especialista da Imaginarium.

Porém, as vitrines temáticas devem ser utilizadas num período certo. “O foco nos produtos temáticos deve ocorrer nas duas semanas anteriores à data sazonal, quando o público está ávido por este tipo de produto e sua venda, de fato, ocorre”, revela a supervisora.

Vitrine inteligente


vitrine imaginarium 1

Alguns elementos nunca podem faltar na vitrine: novidades, promoções e produtos “iscas”.

“Em um mundo ávido por novidades, o destaque de lançamentos na Vitrine é essencial, demonstra a agilidade da loja em oferecer a seu público a principais tendências e inovações. Os produtos chamados “Isca” sempre têm lugar cativo na vitrine, pois são produtos que apresentam bom desempenho de vendas, e por isso atraem novos consumidores para a loja. O Promocionais também são importantíssimos, pois ajudam a renovar os estoques da loja, oferecendo compras de oportunidade”, afirma Lucia Mondadori.

Loja setorizada

Além das técnicas aplicadas nas vitrines, a Imaginarium – por meio de seu canal de comunicação com os franqueados – mostra diversas dicas e passo a passo para que todas as lojas tenham um padrão de excelência em visual merchandising (VM). Os franqueados por sua vez enviam fotos para que a equipe de marketing possa sugerir melhorias, sempre com o intuito de manter a mesma qualidade em toda a rede.

Como as lojas geralmente têm um espaço físico pequeno, os franqueados são orientados a setorizar a loja, como explica a especialista, “as lojas da Imaginarium são setorizadas por público-alvo, áreas que denominamos de “Estilos”. Possuímos, por exemplo, o Estilo da submarca “Muito Tudo” que visa atingir o público feminino adolescente, o Estilo “Utilitário” apresenta produtos mais neutros geralmente voltados para um público mais maduro. Os Estilos permitem que cada público-alvo permaneça mais tempo em determinada área da loja, onde seu interesse será naturalmente maior. Estas áreas de interesse também oferecem vantagens como a ‘compra casada’, pois os produtos expostos conversam entre si e apresentam grande chance ganhar o consumidor”, finaliza.

 Fonte : http://www.lyderis.com.br/dicas-e-negocios-hidden/marketing/2749-supervisora-de-visual-merchandising-da-imaginarium-revela-os-truques-de-vitrinismo-e-ambientacao-que-encantam-os-consumidores

4fev/141

Guru de Vendas. Por que Todo Vendedor Deveria Ter Um.

mentor

Em 202 antes do nascimento de Jesus Cristo, Cipião, um jovem general Romano derrotou seu próprio guru,  o grande general estrategista Cartaginês  Aníbal. Aníbal, havia vencido as últimas batalhas contra a poderosa Roma e era praticamente invencível naquele período.

Um dia antes da histórica batalha de Zama, ambos se reuniram e foi quando Cipião confessou humilde e escancaradamente a Aníbal, tê-lo adotado como guru desde o início de sua carreira.

Nota: não me refiro ao termo “guru” no sentido da língua Sânscrita (umas das 23 línguas da Índia), como professor  ao sagrado ou, um “guia de almas” como diria Ed Renê Kivitz, um dos meus “gurus” – pois é, também tenho os meus.

Então chamemos de guru, os professores, mestres, em suas áreas de atuação. Combinados?

Mas, e como essa história de mais de 2000 anos pode me ajudar a ser um grande vendedor?

TENDO UM GURU, VOCÊ TEM UMA REFERÊNCIA

Alguém que já realizou. Fez algo de significado. isso te ajudará a não ter que reinventar a roda. Como sempre digo em minhas palestras de vendas, se a estrada está pavimentada, porque andar por trilhas?

TER UM GURU TE AJUDA A CRIAR SEU PRÓPRIO MODELO DE VENDEDOR
Ou melhorá-lo caso você já tenha o seu pronto. Essa referência nos ajuda também, a comparar o nosso com outros modelo e podermos tirar conclusões sobre como seguir em frente.

GURUS PRECISAM ESTAR ATUALIZADOS
Isso é bom. Eles trabalham por nós. Essa é outra vantagem em adotarmos “gurus”, eles necessitam estar sempre atualizados e claro, nós pegamos carona nesse conhecimento quando seguimos alguém como referência e claro, ganhamos tempo.

FILTRE SEU “GURU”
Nem tudo que “gurus” dizem é verdade para você. Elimine o que achar que não se adapta à você ou que nada tem a ver com seu setor de mercado, por exemplo.

COPIE UM GURU
Principalmente, se você é iniciante em vendas. Claro, em breve, você criará seu próprio modelo e se distanciará da cópia. Não tem mal algum copiar alguém no começo de carreira. Você só não pode ser uma cópia a vida toda. Vale muito a pena ter um guru de vendas.

AS VEZES, O MELHOR “GURU” É O “GURU” CASEIRO
Um excelente “guru” pode ser caseiro. Descubra quem é o destaque de vendas de sua empresa ou seu departamento.  Observe seu comportamento e suas ações e as pratique.  Já fiz isso algumas vezes e deu certo.

COMO SE TORNAR O “GURU” DO SEU SETOR
Faça a seguinte pergunta aos seus clientes: fulano (a), por favor, quando você pensa num excelente vendedor, qual nome lhe à cabeça imediatamente? certamente, ele dirá rapidamente um ou ou dois nomes do seu mercado.  Caso seu cliente, demore um pouco para responder e disse seu nome, desconfie, vai que ele é seu amigo… Agradeça o elogio e peça para que mencione um segundo e terceiro nome. Pronto, já saber que são “os caras” do seu setor.

NUNCA É TARDE PARA TER UM GURU
Me arrependo por  não ter tido humildade, autocrítica e maturidade suficientes antes. Deveria ter eleitos os meus bem no começo de minha carreira. Seguramente, teria avançado mais rapidamente em vários pontos.

HOMENAGEM AOS GURUS
Na área de vendas Zig Ziglar, Joe Girard, Miguel Feres e Gilmar da Ford. Na área espiritual, apenas um, Jesus Cristo. Como pregador, Ed Renê Kivitz. Dentre os palestrantes, Mario Persona e Rodrigo Cardoso. Em finanças, Gustavo Cerbasi. Em Marketing digital, Conrado Adolpho. Quando crescer, vou querer ser que nem eles.

É BOM SABER
Apenas para conhecimento: Cipião entrou para história como o brilhante general a vencer o grande Aníbal e ajudar Roma a tornar-se o maior império da terra, naqueles tempos.

cipiao-150x150

 

Uma frase, nos diz o quão sábio Cipião se tornou: “Ao inimigo não somente deve-se dar a estrada para fugir, como até a construir”.

Já Aníbal é mencionado por historiadores modernos como o Napoleão daquela época.

Anibal-150x150

Aproveite para ler as 5 coisas que você precisa fazer para se tornar uma referência em seu setor.

Tomara que faça bom proveito deste artigo.
Boa$ Venda$!

Professor Portare é palestrante, empresário e vendedor.
Leciona nos cursos de pós-graduação da FGV – Fundação Getúlio Vargas e fala para aproximadamente 12.000 por ano em empresas de todo o Brasil através de suas palestras e treinamentos em empresas, universidades e associações.
Portare é autor do best-sellers “Dinheiro dá em Árvore”.

Fonte : http://comovenderbem.com.br/guru-de-vendas/

Categorias: Vendas 1 Comentário
3fev/140

Atendimento ao cliente – Clientes internos

atendimento ao cliente 1

É fácil reconhecer clientes externos. Algumas vezes, porém, é difícil identificar os clientes dentro da própria organização. Pode ser que você não os veja. Talvez não saiba de modo exato o que acontece com seu trabalho depois que ele sai da sua mesa. Quem sabe, as mesmas pessoas que você serve também o atendam. Em uma empresa, o relacionamento entre o profissional de atendimento e o cliente pode mudara toda hora.

Dica: Em sua empresa, todo colaborador que se beneficia do seu trabalho é seu cliente - portanto, seu cliente é aquele que sofre quando seu desempenho é fraco. Pense no dia que você faltou. Quem foi afetado por isso em sua equipe? Aquela pessoa é seu cliente interno.

Se, por exemplo, sua função for anotar pedidos no call-center, você está atendendo diretamente clientes externos, mas também os internos. Quem centraliza essas solicitações? O que acontece quando faltam informações importantes nessas requisições ou quando há erro no processo de armazenamento desses dados? O impacto do que você faz ou deixa de fazer afeta tanto os clientes externos, que podem não receber a encomenda, quanto os clientes internos, pois eles precisarão lidar com a reclamação quando for constatado que o produto não chegou ao consumidor.

Dica: Quando identificar os clientes, fale com eles sobre o que apreciam e não apreciam no atendimento prestado por você. Use esse feedback para melhorar a qualidade do seu trabalho.

Os clientes estão em toda parte, tanto dentro quanto fora da empresa. Sua tarefa é identificá-los, saber do que precisam e como lhes oferecer isso. Ao executar essas ações de um modo que maximize a satisfação deles, você estará criando o sentimento de trabalho em equipe e de camaradagem que faz com que as empresas prosperem.

Fonte: Livro Atendimento Nota 10 : http://sucesso.powerminas.com/category/atendimento-ao-cliente/