BLOG GERANDO DEMANDA
17nov/150

10 licoes de negocios a aprender com Moises, de “Os Dez Mandamentos”

10 mandamentos

A novela "Os Dez Mandamentos", da Rede Record, conta a saga de Moisés para libertar o povo hebreu da escravidão e levar até a Terra Prometida, atual Jerusalém. Para isso, segundo a tradição, o profeta conseguiu manter seu povo unido numa travessia de 40 anos, que passou pelo deserto e atravessou o mar Vermelho. Segundo Márcio Belintani, teólogo e consultor do Sebrae-SP (Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa), respeitando o contexto histórico e religioso, é possível extrair 10 lições empreendedoras de sua atuação

Moises-guilherme-winterVISÃO | Moisés olhou em perspectiva para deixar um legado. Para isso, segundo a tradição, transmitiu seus conhecimentos. "Durante toda a sua trajetória, ele procurou preparar a sua sucessão e passou todos os seus ensinamentos a Josué que, ao final da jornada, entrou na Terra Prometida, enquanto Moisés pode vê-la apenas de longe, já que foi proibido por Deus de adentrar." Belintani, do Sebrae, diz que um bom líder não deve ter medo de passar seus ensinamentos e nem de preparar o seu sucessor. "Ele precisa saber que não é insubstituível e que vai precisar de alguém para assumir o seu lugar quando acabar a sua missão"

 

desertoOUSADIA | Quando Moisés entendeu o seu "chamado divino" para libertar o povo hebreu da escravidão, segundo a tradição, soube que seria necessário abrir mão do conforto do reino onde foi criado e enfrentar o Faraó, considerado Deus de dois mundos; além disso, precisaria arriscar a própria vida para iniciar uma peregrinação; o mesmo ocorre com o empreendedor, que precisa se arriscar, encarar obstáculos e acreditar nos ideais antes de abrir uma empresa, de acordo com Belintani, consultor do Sebrae

 

moises e jetroPREPARO | Antes de sair em peregrinação, Moisés passou por um período de formação pessoal e de aperfeiçoamento, segundo a tradição. "Ele buscou informações sobre o que acontecia no seu reino, sobre as estratégias do Faraó e começou a formar a seu ideal de reino", diz o consultor do Sebrae. Segundo ele, a busca por informação deve ser contínua para o empreendedor. "Ele deve fazer o seu plano de negócio, que pode ser aperfeiçoado a cada dia. Depois de estabelecida a empresa, ele não pode parar de se atualizar sobre o mercado e ver o que pode melhorar"

 

moises e faraoAUTOCONFIANÇA | Ao longo da sua trajetória, Moisés precisou negociar com o Faraó diversas vezes, e ele sempre optava pelo contato direto, ou seja, face a face, mesmo correndo risco por confrontar a autoridade máxima do Egito na época, segundo a tradição. "A relação face a face agrega valor e otimiza os resultados, por isso deve ser mantida", afirma o téologo e consultor do Sebrae Márcio Belintani

 

moises e hebreusMOTIVAÇÃO | Segundo a tradição, Moisés conseguiu mostrar para o povo hebreu que o período de escravidão deveria acabar e havia algo melhor reservado para ele: a Terra Prometida. Mas, para alcançá-la, todos teriam de brigar para conquistar a sua liberdade. "O mesmo vale para o empreendedor. Uma equipe motivada produz mais e traz mais resultados", afirma o consultor do Sebrae

 

osdezmandamentosPERSISTÊNCIA | Os obstáculos que apareceram ao longo da trajetória de Moisés não o impediram de libertar seu povo, segundo a tradição. "Sua fé o fez conseguir sobreviver ao deserto, às pragas e, ainda, convencer o povo sobre a existência da Terra Prometida", diz Belintani; segundo o consultor do Sebrae, o empreendedor também deve persistir. "Os primeiros anos de uma empresa são difíceis, mas um grande líder não pode desistir nunca. Ele precisa se manter forte para conseguir transformar o seu sonho em realidade"

moisés-e-arãoLIDERANÇA | Quando o movimento começou a tomar força, segundo a tradição, Moisés percebeu que não iria conseguir manter a liderança sozinho. Ele, então, delegou poder a 70 príncipes para poder organizar melhor o povo. "Um grande líder não pode achar que tudo depende dele. Ele deve aprender a delegar tarefas e fazer um bom planejamento para obter sucesso", declara o teólogo e consultor do Sebrae

 

osdezmandamentos4COMPROMETIMENTO | A lealdade de Moisés com seu povo, segundo a tradição, foi determinante para cumprir a missão. "Ele sabia que sem comprometimento com as pessoas sua jornada não seria atingida", diz o consultor do Sebrae. Para ele, o mesmo vale para o empreendedor. "É preciso colaborar com os seus funcionários para eles se sentirem mais seguros e atingirem um bom desempenho e dar total atenção ao cliente, que é o grande responsável pela existência do seu negócio"

images

FOCO | Moisés somente se tornou um grande líder para os hebreus e para o povo de Israel por ter foco e não se desviar do "chamado de Deus", segundo a tradição. "Ele foi íntegro e firme nas suas decisões para cumprir a sua missão", declara o consultor do Sebrae. Para ele, o empreendedor também precisa ser fiel aos seus ideais para cumprir as suas decisões

 

CTkLk-rW4AAPArISEGURANÇA | Na travessia do Mar Vermelho, quando as águas se abrem dando passagem a Moisés e ao povo, segundo a tradição, ele mostrou firmeza de decisão mesmo sendo uma ideia aparentemente impossível: "Diante do desafio apresentado e, perante o temor do povo, Moisés responde com propriedade e faz aquilo que acredita ser a melhor decisão", diz o teólogo e consultor do Sebrae Márcio Belintani

 

Fonte : http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/album/2015/11/17/10-licoes-de-negocios-a-aprender-com-moises-de-os-dez-mandamentos.htm#fotoNav=10

29out/150

7 maneiras de chamar a atencao de seus clientes

Segundo a empresa Nutty Bavarian, 9 em cada 10 clientes relatam que, ao pensar na marca, a primeira coisa que têm em mente é o aroma de suas castanhas, facilmente notado por quem passa pelos quiosques da rede. A assinatura olfativa da empresa foi a estratégia utilizada para se diferenciar em meio à infinidade de elementos que impactam alguém que caminha pelos corredores de um shopping center.

Essa marca registrada nasceu de um processo rotineiro na preparação do produto. “Não é uma coisa que a gente usou no começo como marketing. É um cheiro natural do processo em que torramos as castanhas com nossa fórmula à base de canela. Hoje em dia, com as pessoas olhando sem parar para as telas dos celulares, encontramos no aroma uma maneira de atrair os clientes”, afirma Adriana Auriemo, diretora da Nutty Bavarian, empresa que chegou ao Brasil há 20 anos e deve faturar R$ 51 milhões em 2015.

Práticas como essa estão ganhando cada vez mais espaço no mercado, segundo o consultor do Sebrae São Paulo Gustavo Carrer. “O marketing sensorial está sendo muito explorado no varejo em diversos segmentos. As empresas identificaram que quando você trabalha com mais de um sentido a chance de se destacar é muito maior”, afirma.

Especialista no assunto, Carrer dá dicas sobre como fisgar os clientes utilizando técnicas tradicionais de vitrinismo, além das novas tendências de marketing sensorial. Confira:

1. Na vitrine, menos é mais

home-MenosMais
A seleção dos produtos expostos em uma vitrine é o primeiro cuidado a ser tomado. “Quando você coloca muitas opções de produtos, o cliente pode ter dificuldade de fazer uma leitura rápida”, afirma o consultor.

2. Misture produtos de diferentes preços

roupas
Em uma época de crise, o recomendado é exibir um mix de produtos que deve ir desde lançamentos até peças com valores mais acessíveis. “Além de romper a barreira natural de o cliente ter que entrar na loja para conhecer todo o cardápio de produtos, a iniciativa pode quebrar a ideia errada que algumas vitrines constroem de que a loja em questão contêm apenas itens de valor elevado”.

3. Ajude o cliente a se ver com o produto

interativa
Uma alternativa para tentar dialogar com o cliente é utilizar elementos na vitrine que o ajudem a visualizar-se consumindo o produto em questão. Com uma cenografia simples, é possível contar uma história em que o cliente seja o personagem principal. “Quando alguém vê a vitrine de uma loja de roupas, por exemplo, ele imagina uma ocasião em que esteja utilizando aquela roupa. Alguns objetos podem ajudar a construir essa projeção”, diz.

4. Vá além do som ambiente
flautadulce-377x320
Marcas norte-americanas como Hoolister e Aeropostale utilizam como som ambiente uma seleção de músicas feita a partir das preferências de seu público. Fugindo do convencional, Carrer dá outro exemplo de estímulo auditivo a ser utilizado. “Ano passado estava passando por uma calçada na Alemanha e ouvi um canto de pássaros muito agradável. Quando olhei pra cima, percebi os alto falantes que direcionavam o som para a calçada e faziam com que os pedestres parassem bem em frente a uma vitrine. É automático: quem passa pela loja faz uma associação da marca com esse som agradável”.
5.  Aposte nas assinaturas olfativas

aromamarketing
Na mesma linha da Nutty Bavarian, empresas estão seguindo uma tendência que vai além da aromatização do ambiente. Marcas têm desenvolvido perfumes especificamente para suas lojas com a intenção de que, ao sentir aquele aroma, os clientes rapidamente se lembrem da empresa, como um cartão de visitas.

6. Explore o tato e o paladar

images
Para empresas do ramo alimentício, a degustação aparece como uma boa alternativa para fisgar os clientes. No segmento de moda e de calçados, é interessante expor o produto de uma maneira que o cliente tenha uma interação tátil, sentindo a textura e o peso dos objetos.

7. Faça o cliente pensar fora da telinha

Foursquare-Check-In
Se não pode vencê-los, junte-se a eles. Ao invés de disputar a atenção dos clientes com a tela do celular, faça com que sua empresa esteja lá também. “Através de alguns softwares e soluções tecnológicas, já é possível rastrear a geolocalização de um cliente previamente cadastro em seu sistema. Ao identificar que ele está nas redondezas, entre em contato pela ferramenta de mensagens mais imediata. É a oportunidade, por exemplo, de oferecer um vale-compras ou alguma vantagem do tipo para este cliente”, afirma o consultor.

 

Fonte : http://revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2015/10/7-maneiras-de-chamar-atencao-de-seus-clientes.html

4set/150

6 licoes de vida que precisamos aprender com Jiang Pu, do Masterchef por Fernanda Morelli

Jiang

Não é à toa que Jiang se tornou a queridinha dos telespectadores. Ela consegue manter a calma quando o programa está pegando fogo, leva tudo com bom humor, arranca sorrisos dos mais exigentes jurados e fala frases para lá de fofas. Ok, com pequenos erros de português, mas de uma sabedoria indiscutível!

Confira algumas lições que ela demonstrou na edição atual de Masterchef e que merecem ser adotadas por todos nós, para uma vida mais tranquila e feliz.

1. É preciso ter coragem para arriscar.

coragem-1

Jiang Pu se formou em estatística, pela USP, mas não se sentiu realizada nessa carreira. Aos 26 anos ela resolveu largar a profissão e arriscar tudo no mundo da culinária, algo que realmente a faz feliz. E parece que deu certo, não?

2. Saber manter a calma é uma dádiva.

2197

E ela já provou que faz isso como ninguém em diversas ocasiões do programa. Como no momento em que faltando poucos minutos para começar a fazer o prato da prova, Jiang começou a fazer movimentos de Tai chi chuan (arte marcial chinesa) para relaxar. E ainda teve bom humor e paciência para ensinar aos colegas de programa – com a técnica da melancia. Vale a pena rever esse momento para lá de fofo.

3. Ser autoconfiante é diferente de ser prepotente.

autoconfiança

Ela sabe aceitar elogios e faz questão de concordar que fez um bom trabalho. Mas Jiang faz isso de um jeito tão sincero (e fofo) que não passa pela cabeça de ninguém que ela está sendo exibida. Autoconfiança faz bem para o ego, para a autoestima e é necessário para ser valorizada e reconhecida.

4. Independente da situação, a melhor saída é encarar com bom humor – sempre.

Alimentos-do-bom-humor-blog-da-mimis-michelle-franzoni-destaque-702x336

Mesmo ao receber críticas difíceis de serem engolidas do chef Jacquin, Jiang consegue escutar e ainda completar com uma brincadeira ou um sincero sorriso – capaz de derreter qualquer jurado. Como neste episódio que ela derruba a cachaça – ingrediente necessário para o preparo correto do prato – e fala, com bom humor e tranquilidade: foi para Deus.

5. Não vale a pena se estressar à toa.

download

A resposta que ela deu à Ana Paula Padrão, quando a apresentadora perguntou se os competidores estavam preparados para a prova de eliminação diz tudo: “Não estou preocupada não. É que não adianta, a essa altura do campeonato, ficar pensando nisso. Tipo véspera de vestibular. Você já tinha decorado todas as fórmulas, mas ao chegar na prova, se você não lembrar, já era”, disse ela.

6. Fazer o que gosta (e fazer com amor) é a chave do sucesso.

fazer-o-que-gosta

Talvez esse seja o maior segredo de Jiang. O fato de ela estar, finalmente, fazendo o que gosta, faz com que ela encare todas as situações difíceis – de tristeza, de estresse e os problemas – como um aprendizado, da maneira mais leve possível.

Pois é, parece que temos muito que apender com essa chinesinha maravilhosa!

 

Fonte : http://www.linkedin.com/pulse/6-li%C3%A7%C3%B5es-de-vida-que-precisamos-aprender-com-jiang-pu-enrico-mondio

3set/150

5 dicas de linguagem corporal para se dar bem em uma negociacao

Todo trabalhador ou candidato à vagas de emprego já passaram ou passarão por negociações em suas trajetórias profissionais, seja para combinar um salário, prazos e demandas, ou outros tipos de acordo. Durante uma negociação, existem diversos cuidados que precisam ser tomados. Eles podem ser divididos entre os verbais e não verbais, entre os não verbais a linguagem corporal é um dos itens que mais podem contribuir positivamente.

Sendo assim, a chave do sucesso de uma negociação pode estar no que não se fala, mas sim em como utilizar a linguagem corporal para influenciar pessoas e ainda respaldar o discurso, trazendo mais veracidade para o conteúdo apresentado.

Confira, na sequência, as dicas que a psicóloga e supervisora de assessoria de carreira da Catho, Larissa Meiglin, elaborou e tenha mais efetividade em uma negociação, além de lhe auxiliar na interpretação da linguagem corporal de outras pessoas.

1. Aperto de mão firme

Handshake on white background

Um aperto de mão fraco pode demonstrar insegurança e causar uma impressão negativa. Dessa forma, o ideal é se empenhar para realizar o cumprimento de forma firme e segura, porém amigável.

Esse simples ato é algo que está gravado no subconsciente da maioria das pessoas, pois ele remete a tempos antigos, onde o aperto de mão significava que você não estava armado, logo, não era uma ameaça. Assim, um aperto de mão bem feito pode fazer qualquer negociação começar bem.

2. Olhos nos olhos

olhos nos olhos

 

Quando não temos muita confiança no que estamos dizendo ou nos sentimos constrangidos, é comum desviar o olhar. É uma maneira rápida que o nosso cérebro encontra para fugir dessa situação de confronto ou desconforto. Porém, ela é percebida rapidamente e, mesmo inconscientemente, passa uma imagem negativa de despreparo ou inferioridade.

Então, se você quer passar uma imagem confiante, exercite fixar o olhar nos olhos da outra pessoa. Nem sempre é fácil, pelo menos no começo, mas com a prática, será algo que será feito sem esforço. Se precisar olhar para outro lugar, tudo bem fazer isso de vez em quando, mas seja breve, se policie para não parecer que está divagando.

3. Respeito ao espaço pessoal de cada um

distancia

Para que cada pessoa se sinta confortável, existe um espaço pessoal que deve ser respeito, pois se invadido, é possível que a sensação seja exatamente essa, a de uma invasão de privacidade, causando um sentimento ruim de que barreiras importantes foram rompidas, o que não é nada interessante para uma negociação.

A dimensão de espaço pessoal varia de pessoa para pessoa e até mesmo de uma cultura para outra, mas, por via das dúvidas, é melhor não se aproximar demais. Após o cumprimento inicial, seja ele um aperto de mão (firme, mas amigável, como dito anteriormente) ou até mesmo um beijo no rosto, caso o relacionamento comporte, é recomendável dar uns dois pequenos passos para trás.

Essa mesma recomendação vale para pessoas que tem o hábito de conversar e constantemente pegar na outra pessoa. Se você possui esse costume, em uma negociação, se policie para que isso não aconteça, pois, contatos físicos indesejados podem por toda a negociação a perder.

4. Sinais com a cabeça

pensamento-positivo-do-negativo-thumb8559212

Além de olhar nos olhos, a sua cabeça também pode ser uma forte aliada em uma situação de negociação. Existem alguns movimentos que passam sensações positivas ao outro. Por exemplo, balançar a cabeça indicando que você concorda com o que está sendo dito pode ser muito estratégico, pois passa para a outra pessoa a impressão de que você aceita e valida o que está sendo dito. Essa sensação de validação é muito positiva, traz a pessoa para o seu lado.

Inclinar sutilmente a cabeça para um dos lados também pode ser uma boa pedida, pois a movimentação indica que você está atento ao que está sendo dito, que está interessado. Só tome cuidado para que os movimentos não sejam bruscos, eles têm que ser sutis e calculados, para passar a impressão de espontaneidade e não de impaciência.

5. Use a técnica do ‘Espelho’

rapport

Caso a pessoa com quem se está negociando utilize com certa frequência um determinado jeito de falar ou use expressões faciais específicas, escolha uma delas e experimente espelhá-las.

Essa dinâmica deve também ser muito sutil, para que não se parece em nada com um mímico, mas apenas para que o outro perceba em você algo que lhe parece familiar e se concretizar em uma sensação de afinidade, podendo ser esse um canal que permita uma receptividade ainda maior em relação a você e a proposta apresentada.

 

http://www.catho.com.br/carreira-sucesso/dicas-emprego/5-dicas-de-linguagem-corporal-para-se-dar-bem-em-uma-negociacao

26ago/150

6 Licoes do mundo dos negocios que todo mundo deveria aprender

Você já tomou alguma decisão errada hoje?

O pior é que nem sempre aprendemos com nossos erros. A vida passa muito rápido, mas saber observar e interpretar as cagadas falhas facilita o nosso aprendizado, seja para a rotina no dia-a-dia, para o trabalho, para os relacionamentos, etc.

A rede colaborativa 9gag, publicou 6 lições do mundo dos negócios que todo mundo deveria aprender. São historinhas simples e divertidas, mas carregadas de aprendizado. Se liga!

erro_sossolteiros

1. Gestão de conhecimento

Um homem está entrando no banho enquanto sua esposa está saindo, quando toca a campainha. A esposa rapidamente se enrola na toalha e desce as escadas da casa. Quando ela abre a porta, vê Bob, o vizinho da casa ao lado. Antes que ela dissesse qualquer palavra, Bob diz:

– Eu lhe darei $800 se você deixar a tolha cair.

Depois de pensar por um momento, a mulher deixa a toalha cair e fica nuazinha na frente do Bob. Depois de alguns segundos, o vizinho lhe entrega os $800 e vai embora.

A mulher se enrola na toalha novamente e sobe as escadas. Quando chega ao banheiro, o marido lhe pergunta:

– Quem era?

– Era o Bob, nosso vizinho – ela responde.

– Que bom – respondeu o marido – ele disse alguma coisa sobre os $800 que ele me deve?

Moral da história:

Se você compartilhar informações importantes relativas a crédito e riscos com seus sócios a tempo, você previne exposições desnecessárias!

vizinhosafado

2. Conhecimento é tudo
Um padre oferece carona a uma freira. Ela entra no carro e cruza as pernas, mostrando mais do que deveria, fazendo o padre quase sofrer um acidente. Depois de controlar o carro, ele sorrateiramente desliza a mão pela perna da freira. Ela, então, diz:

- Padre, lembre-se do Salmo 129!

O padre retira a mão. Mas, quando vai trocar a marcha, ele passa a mão na perna da freira outra vez. Ela volta a dizer:

- Padre, lembre-se do Salmo 129!

O padre se desculpa dizendo:

- Desculpe, freira, a carne é fraca.

Chegando ao convento, a freira suspirou profundamente e seguiu seu caminho. Quando o padre chega à igreja, vai apressadamente olhar o Salmo 129, que dizia “Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória”.

Moral da história:

Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, pode perder excelentes oportunidades.

 

freira_sossolteiros1

3. Chefe e líder
Um representante de venda, um secretário administrativo e o gerente estão indo almoçar, quando encontram uma antiga lâmpada a óleo. Eles a esfregam e o gênio da lâmpada aparece. O Gênio diz:

– Eu darei um desejo para cada um!

– Eu primeiro, eu primeiro! – Diz o secretário administrativo – Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem qualquer preocupação na vida.

Puff! Ele se foi.

– Eu sou o próximo, o próximo! – Diz o representante de venda – Eu quero estar no Havaí, relaxando com minha massagista, uma fonte inesgotável de Piña Colada e com o amor da minha vida.

Puf. Ele se foi.

– Ok! Agora é sua vez! – Diz o Gênio para o gerente.

E o gerente responde:

– Quero os dois de volta ao escritório depois do almoço!

Moral da história:

Sempre deixe o seu chefe falar primeiro.

lampada mágica

4. Zona de Conforto

Uma águia está sentada em uma árvore descansando. Um pequeno coelho a vê e pergunta:

– Posso ficar sentado como você e não fazer nada?

A águia responde:

– Claro, por que não?

Então, o coelho se senta no espaço abaixo da águia e descansa. Do nada, aparece uma raposa, pula sobre o coelho e o devora.

Moral da história:

Para ficar sentando sem fazer nada, você tem que estar sentando muito, mas muito alto.

sentado_sossolteios-e1440184958734

5. Merd@s acontecem

Certa vez, um peru estava conversando com um touro:

– Eu adoraria chegar à copa daquela árvore – suspirou o peru – mas eu não tenho energia.

– Bem, por que você não come um pouco do meu estrume? – respondeu o touro – Ele contém muitos nutrientes.

O peru comeu um pouco do estrume e percebeu que aquilo lhe dava energia suficiente para alcançar o galho mais baixo da árvore.

No dia seguinte, depois de comer mais estrume, ele alcançou o segundo galho.

Finalmente, depois da quarta noite, o peru estava orgulhoso de ter chego à copa da árvore.

Ele foi visto imediatamente por um fazendeiro, que atirou e fez com que ele caísse lá de cima.

Moral da história:

Merd@s podem fazer você chegar ao topo, mas não manterão você lá.

turkeyshoot

6. Pontos de vista

Um passarinho estava voando em direção ao sul, no inverno. Estava tão frio que o pássaro congelou e caiu no chão em um grande campo. Enquanto ele estava deitado, veio uma vaca e defecou sobre ele. Como ele estava congelado debaixo das fezes da vaca, ele percebeu que ali era realmente quentinho.

O dejeto estava, na verdade, descongelando-o. Ele estava deitado, aquecido e feliz e começou a cantar de felicidade. Um gato, que ia passando por ali, escutou o passarinho cantar e foi averiguar o que estava acontecendo. Perseguindo o som, o gato descobriu que o pássaro estava debaixo das fezes da vaca. Tirou-o dali e comeu o passarinho.

Moral da história:

Nem todo mundo que defeca em você é seu inimigo.
Nem todo mundo que tira você da merd@ é seu amigo.
E quando você está na merd@ é melhor ficar de bico calado.

vaca

 

 

 

 

 

 

 

Fonte : http://sossolteiros.bol.uol.com.br/6-licoes-do-mundo-dos-negocios-que-todo-mundo-deveria-aprender/?cmpid=fb-uolnot

21ago/150

8 abordagens vencedoras para sua venda diaria

abordagem-vendas

 

Esse post ajudará todas as pessoas que trabalham em loja a abordarem com maior cordialidade, criar um vínculo com o cliente e aumentar o fechamento de vendas no dia a dia (claro que você poderá adaptar para o seu dia a dia caso não trabalhe no varejo)! Vamos às abordagens:

1 - Posso ajudar em alguma coisa?

Essa é uma pegadinha! Não use essa abordagem, pois é a mais batida de todas e de 10 clientes, apenas 1 realmente vai querer ajuda;

2 - Procurando algo específico/especial?

Essa é outra pegadinha! Por experiência própria, ele funciona com no máximo 2 clientes de 10! Geralmente ganharemos o apenas "só estou dando uma olhada" como resposta;

3 - O que achou mais interessante até o momento?

Agora sim estamos começando! Deixe o possível cliente livre para dar uma olhada nos produtos e após 5 minutos (ou após perceber que o cliente já conheceu boa parte dos produtos que a loja tem a oferecer), interaja com essa pergunta. Com certeza a taxa de fechamento irá aumentar;

4 - Qual artigo lhe chamou mais atenção?

É uma variação da abordagem anterior. Com essa pergunta aberta você deixa o cliente ainda mais livre para falar sobre possíveis produtos de interesse e você terá como qualificá-lo;

5 - Prontos para ficar maravilhados? E mostrar a loja...

Sim! Essa abordagem pode ser feita caso o cliente diga que está "conhecendo a loja". Mostre em 30 segundos alguns segmentos da loja e preste a atenção onde ele fica mais interessado;

6 - Se falar "só estou olhando", diga: "Ótimo, é uma pessoa atenta aos detalhes! Logo que ver algo que interesse, olhe para mim que irei mostrar maiores características do artigo."

Uma das respostas para o famoso "só estou olhando." que pode abrir um canal para o cliente sentir-se mais a vontade. Funciona na maioria das vezes;

7 - Perceber o que o cliente mais olha e perguntar: de 0 a 10, qual nota daria para tal produto?

Com essa pergunta você já estará qualificando o cliente e sabendo o seu conhecimento sobre o produto. Caso ele tenha dúvida, pergunte o que faltaria para um 10;

8 - Procurando algum presente para alguém importante?

Essa abordagem deve ser feita após uns  minutos que o cliente está na loja vendo os produtos. Perceba alguns aspectos como o movimento dos olhos, caso esteja mexendo no celular e/ou tirando fotos de alguns produtos e aborde com essa pergunta. Geralmente, a pessoa responderá positivamente e você poderá direcioná-lo para o presente perfeito;

9 - Perceber bolsas que estão carregando:

Nespresso - já experimentou o de torta de maçã?  Qual sua opinião sobre ele?

Starbucks - já tomou o frappé de macadâmia deles? Nossa, é sensacional!

Sim! Perceba as bolsas e puxe assunto sobre o produto. Você estará criando um relacionamento mostrando que está ali não só como vendedor, como também um amigo que gosta do que ele gosta.

Quando alguém vem do Starbucks, você pode ler o nome da pessoa no copo! É algo espetacular chamar a pessoa pelo nome pois ela irá se sentir acolhida e importante;

10 - Caso fale que só esta olhando, perguntar: "o que mais chamou a atenção que o fez entrar em nossa loja?"

Essa abordagem complementa as anteriores na mesma categoria "só estou olhando". A pessoa irá falar mais sobre sua iniciativa de entrar na loja que pode ser a procura de um presente, lembrança de alguém querido que gostaria de ir à uma loja dessas, algo que esse cliente gostou que viu na vitrine, entre outros.

Sei que podemos ter ainda mais abordagens e quero que você comente abaixo dando mais dicas!

 

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/8-abordagens-vencedoras-para-sua-venda-di%C3%A1ria-thiago-compan?trk=eml-b2_content_ecosystem_digest-recommended_articles-190-null&midToken=AQEfN177APDQkA&fromEmail=fromEmail&ut=2ISrZe6Tl0g6U1

4mai/150

7 truques e habitos para melhorar de vez sua memoria

Por Luciana Carvalho, de EXAME.com

Mente sã

mente

São Paulo – Você conseguiria decorar a ordem das cartas de um baralho? Nelson Dellis, Campeão da Memória nos Estados Unidos por quatro vezes (2011, 2012, 2014 e 2015), consegue fazer isso em 40 segundos.

Alguém pode perguntar: como ele consegue fazer isso, enquanto eu mal lembro o que comi no café-da-manhã? A resposta engloba um conjunto de fatores, mas um dos pontos essenciais é treino.

Dellis começou a exercitar sua memória em 2009, pouco tempo após o falecimento de sua avó, que sofria com o Mal de Alzheimer. Ele veio ao Brasil nesta semana, para participar do 1º Workshop sobre a Saúde do Cérebro, organizado pela empresa DSM.

Lá, contou porque começou seu trabalho com a mente. “Percebi que a memória é algo tão frágil. Eu não queria que a mesma coisa que aconteceu com minha avó se passasse comigo. Comecei a fazer pesquisa e descobri que a memória é treinável”, afirmou.

Além de exercitar seu cérebro, Dellis criou também a ONG Climb for Memory, voltada para a conscientização e arrecadação de fundos para pesquisa da doença de Alzheimer. Com esse projeto, ele reúne grupos para escalar montanhas pelo mundo e espalhar informações sobre a importância de se cultivar a memória.

De acordo com Sonia Brucki, médica neurologista e professora da Universidade de São Paulo, também presente no workshop, embora o avanço da idade e a genética sejam fatores imutáveis que podem prejudicar a memória, é possível manter o cérebro saudável por mais tempo, além de recuperar a agilidade mental a habilidade da memória, com a adoção de certos hábitos.

“O cérebro é uma coisa muito plástica. Em qualquer época da vida, é possível mudar e melhorar suas funções”, disse a especialista. O importante, segundo ela, é estimular a mente para retardar ao máximo o declínio cognitivo, que inevitavelmente acontecerá na velhice.

A seguir, você confere alguns truques e hábitos para lembrar-se melhor das coisas e manter a cabeça saudável.

 

Associar o que se quer lembrar a uma imagem

MEMÓRIA

A técnica usada por Dellis para memorizar cartas, números, palavras e quaisquer outras informações é relativamente simples, apesar de exigir treino. Segundo ele, para conseguir recordar das coisas com mais facilidade, basta associar a informação a uma imagem.

“Nosso cérebro lida melhor com imagens do que com informação abstrata”, disse durante sua apresentação. Para decorar a ordem das cartas de um baralho, por exemplo, ele relaciona cada uma delas a alguém ou algo. O naipe de Copas é representado por pessoas de sua família e entes queridos, sendo que o Rei é seu pai.

Depois, ele cria situações em sua mente para fixar a informação. Assim, ao se valer dessa pequena “história” imaginária, ele consegue se lembrar das cartas na ordem certa. Esse artifício, de criar cenas em sua cabeça, pode ser usado para memorizar várias outras informações, como sequências de números e nomes.

Quanto mais marcantes forem essas representações, melhor, para chamar a atenção do cérebro. Em um exercício, durante o workshop, Dellis pediu que os presentes tentassem gravar um grupo de palavras desconexas.

Duas delas eram “girafa” e “pé”. Ao invés de sugerir que imaginassem o animal e o membro separadamente, ele levou a plateia a pensar em uma girafa com um pé humano. Essa representação bizarra, recheada de detalhes em sua descrição, foi o suficiente para que todos conseguissem fixar na memória estes termos (além de outros propostos no exercício).

Para o campeão de memória, grande parte daquilo que pessoas saudáveis esquecem fica para trás por dois motivos principais: ou a informação não recebeu muita atenção ou sua representação criada na mente não foi forte e detalhada o suficiente.

 

Estocar as informações em diferentes “lugares” no cérebro

images

Mas o que fazer com tantas representações “soltas” em nossa mente? Nelson Dellis explica que não adianta associar imagens a coisas, se, na hora de buscar a informação, não souber onde ela está guardada.

Ele compara nossa cabeça a um computador, em que é necessário separar bem os arquivos em pastas organizadas, para evitar confusões e a perda de dados. É aí que entra mais um exercício de criatividade.

As imagens criadas devem ser “acomodadas” em algum espaço que a pessoa frequente ou já tenha frequentado, por exemplo, a casa onde vive, a sala onde trabalha, um parque ou, simplesmente, o ambiente em que está neste exato momento.

Essa noção espacial é importante para compartimentar as informações na mente e torná-las mais acessíveis, quando se fizerem necessárias.

Para lembrar as coisas, é preciso que suas representações sejam projetadas em pontos específicos do ambiente, como uma janela, o fundo da sala ou a porta, que serão o “palco” onde a cena imaginária deve acontecer. Assim, as memórias desejadas poderão ser resgatas no caminho percorrido em pensamento.

Voltando ao exemplo da girafa com pé humano: fica mais fácil lembrar as palavras “girafa” e “pé” se essa imagem grotesca aparecer na porta do banheiro da sua casa, do que se essa representação não for posicionada em um local específico.

 

Fazer exercícios mentais

images (1)

Seja memorizando a ordem de um baralho, seja fazendo palavras-cruzadas, seja aprendendo um novo idioma, o exercício mental é essencial para manter uma mente saudável.

De acordo com a neurologista Sonia Brucki, as atividades mnemônicas são usadas desde a Grécia antiga e até hoje mostram resultado positivo no desenvolvimento cognitivo das pessoas.

Ela afirma que estudos têm revelado a importância da atividade intelectual para a melhora da memória e das funções cerebrais. A atividade deve ser escolhida de acordo com as preferências pessoais de cada um. O importante é não ficar parado.

 

Fazer exercícios físicos

exercicio fisico

O clichê “corpo são, mente sã” tem sua razão de existir. Nelson Dellis e Sonia Brucki concordam que as atividades físicas são essenciais para que a o cérebro funcione bem e consiga reter mais informações.

Sonia explica que os exercícios são importantes porque melhoram a função cardiovascular, aumentam o fluxo sanguíneo do cérebro, promovem crescimento dos neurônios e aumentam as conexões da região do hipocampo, responsável pela memória.

Ela ainda citou diferentes estudos que mediram o declínio cognitivo com o passar do tempo. Um dos resultados mostrou que pessoas que praticam atividade física regularmente têm 38% menos risco de baixa nas funções cognitivas, em relação a sedentárias.

Nelson Dellis adotou a escalada e o cross-fit para manter a forma.

 

Cuidar da alimentação

alimentação para memoria

A alimentação também é um fator importante no processo. De acordo com a médica, a melhor opção de cardápio é aquela que inclui muitos vegetais, alimentos ricos em ômega 3 e ômega 6 (atum, salmão e arenque), vitamina E (óleos vegetais e sementes) e ácido fólico (feijão e fígado).

As dietas mediterrânea e mind (junção da mediterrânea e a DASH) também foram citadas por Sonia como opções que têm surtido efeitos positivos para a saúde do cérebro.

A ideia básica desses programas alimentares é reduzir o máximo possível de ingredientes industrializados (doces, cheios de sódio e gordurosos) e consumir muito peixe, frutas, verduras, legumes, grãos integrais, gorduras boas (não saturadas) e uma taça de vinho por dia.

 

Ter vida social

dieta-x-vida-social

A vida social ativa é um fator que ajuda muito na manutenção de uma boa memória, de acordo com Sonia e Nelson. As conexões com outras pessoas são importantes para a qualidade de vida da pessoa e estudos já mostraram que pessoas com relações sociais mais ricas têm desempenho cognitivo melhor do que aquelas de pouca vida social.

Isso é importante principalmente na velhice, já que os idosos tendem a se isolar mais e evitar sair de casa. Diante disso, é essencial estimular as amizades e compromissos, para que as conexões se mantenham.

 

Cultivar o bom humor

bom humor

Assim como o cultivo das relações sociais, o bom humor é muito importante para um melhor funcionamento do cérebro, segundo a neurologista. Em uma rotina tão estressante, cheia de preocupações e frustrações, essa tarefa parece muito difícil, mas o esforço vale a pena.

Para Nelson Dellis, seguir essa receita não é garantia de memória infalível. “Eu ainda esqueço as coisas. Minha ex-namorada já brigou comigo por não me lembrar de coisas que ela gostaria que eu lembrasse”, conta.

Nem tudo exige ou merece ser lembrado, mas, para aquilo que vale a pena, os treinos e a mudança de estilo de vida podem ser muito úteis.

 

http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/truques-e-habitos-para-melhorar-de-vez-sua-memoria#1

6mar/150

Gerenciar projetos, liderar e entregar bons resultados

mulheres

As mulheres têm se saído bem melhor que os homens nos quatro atributos críticos da liderança: 1) liderar pelo exemplo, 2) comunicar-se de forma transparente, 3) admitir seus erros e 4) trazer à tona o que os outros têm de melhor. É o que aponta o estudo Ketchum Leadership Communications Monitor (KLCM), com 6.509 entrevistados em 13 países dos cinco continentes. O que essa “identidade feminina” de liderança quer dizer a todos nós que administramos uma empresa? Preze pela comunicação ou desapareça. Independente de você ser o líder ou o gestor da empresa, gerenciar projetosde sucesso é primar pelos quatro atributos:

4. Trazer à tona o que os outros têm de melhor

Os conhecimentos essenciais para conduzir um projeto envolvem desde finanças, vendas e marketing até planejamento estratégico: de dominar processos de produção e compras à contratação de serviços. Também vale conhecer a legislação trabalhista, normas de segurança e políticas ambientais e de responsabilidade social. Ou seja, existe uma série de papéis a desempenhar e uma equipe inteira de onde extrair talentos para isso. Não há nada mais desanimador do que se sentir subutilizado ou, pior, incapaz, sem habilidades ou conhecimento para seguir o seu gestor em sua visão. Por isso, o líder legítimo, depois de orientar o fluxo de trabalho e designar papéis, capacita sua equipe. Ele faz isso inspirando com sua experiência de vida, facilitando a comunicação entre eles e melhorando sua expertise, com palestras e cursos, por exemplo.

 

3. Admitir seus erros

É assim que você mantém sua integridade e recupera sua credibilidade perante a equipe. Afinal, sem confiança no líder, não há confiança no projeto, e o empenho acaba. Quando as decisões não saem da maneira que deveriam ter saído, você deve uma explicação às pessoas. Isso também está dentro da política de responsabilidade social do projeto. Exercite sua honestidade e admita que sente muito por seu erro. E, é claro, se estiver ao seu alcance, encontre maneiras de compensar as pessoas a quem você causou danos. Você só tende a ganhar. Lembre-se: contra a generosidade, não há argumentos.

 

2. Comunicar-se de forma transparente

Com empresas se tornando menos hierárquicas, o uso inteligente da comunicação digital é crucial para o sucesso do projeto. Crie espaços de discussão mais informais para seus colaboradores sugerirem mudanças no trajeto do projeto ou até na estrutura da organização. Apenas dominar a legislação trabalhista não é o suficiente para cuidar da sua equipe como um líder. Organize seu tempo para conhecer parte das vidas de seus colaboradores, os seus problemas, tristezas e sonhos. Muitas vezes você não vai ter de solucionar nada pessoal, e nem deve. Mas só de saber que você está interessado nisso, cresce o respeito e nasce uma relação de partilha duradoura e rara.

 

1. Liderar pelo exemplo

As pessoas te seguem porque você está indo para um lugar aonde elas também querem chegar. Quando você mantém distância delas, acaba por incitar um sentimento de apreensão no escritório. Afinal, quais são os benefícios de seguir a sua liderança? O que faria um colaborador desejar ser como você? Além do trabalho e do benefício financeiro, por que eles deveriam segui-lo? Encontre as respostas e você terá compreendido boa parte do que um líder é para você – e poderá seguir seus próprios conselhos para se tornar um.

 

Fonte : http://blog.runrun.it/sobre-liderar-gerenciar-projetos-e-entregar-bons-resultados/

25fev/150

Virou chefe e nao sabe como agir com a equipe? Siga 4 passos de transicao

Ser chefe não é fácil. Assumir um cargo de liderança pode trazer grandes benefícios, mas responsabilidades ainda maiores. Encarar o cargo pela primeira vez, como toda mudança, exige cuidado especial.

"Quando um profissional aceita um cargo de gerência, os relacionamentos pessoais anteriores têm de ser movidos para um nível diferente", afirma Balvinder Powar, especialista em liderança e professor da IE Business School, escola de negócios de Madri, na Espanha. "Você não é mais um colega para sua equipe, e suas funções mudaram."

Por mais que um profissional tenha se preparado a vida toda para assumir um cargo de chefia, a nova posição pede mudanças na postura que têm de ser trabalhadas no dia a dia.

Para a consultora de carreiras Waleska Farias, autora do livro "O Líder Integral", o gestor fala pela empresa e tem de aprender a impôr limites, mas sem destratar ou ser rude para fazer valer sua autoridade.

Segundo Farias, que desenvolveu um programa para acelerar a formação de novos líderes, a honestidade também deve ser prioridade para criar vínculos com seus funcionários. "A equipe pode até perdoar falhas ou o fato de o chefe não saber determinado assunto ou procedimento. Mas ela não vai tolerar mentiras".

Confira dicas dos especialistas para quem se tornou chefe pela primeira vez na carreira.

1. SEJA AMIGO, MAS IMPONHA LIMITES

oportunista-chefe-promocao-1386273571325_615x300

Virar chefe exige atenção aos relacionamentos antigos. O colega, que pode até ser um amigo, agora vai cumprir suas ordens. Nesse caso, a comunicação é vital.

"Eu recomendaria conversar com cada pessoa da equipe individualmente, para que eles falem como se sentem", diz Balvinder Powar. "Foque na expectativa de ambos e deixe todas as questões claras, evitando falar sobre fofoca ou assuntos subjetivos".

"O profissional tem de ter consciência de que, como gestor, agora fala pela empresa. Por isso, deve impôr limites", afirma Waleska Farias.

2. EVITE A INVEJA

autoestima-inveja-competicao-trabalho-executiva-1319628383763_615x300

É natural que mais de um funcionário seja cotado para a mesma posição, quando uma vaga de gerência é aberta na empresa. Saber como contornar a frustração dos que não conseguiram é tarefa do novo líder.

"Chame o colega para um almoço ou um café. Deixe claro, dizendo que vocês dois queriam aquela posição da mesma maneira e tinham competência para isso, mas uma amizade ou parceria não pode acabar por isso", afirma Waleska Farias. "Ser claro e honesto é importantíssimo. O silêncio é a pior medida, porque os 'fantasmas' crescem".

Powar afirma que o ideal é ser objetivo para evitar conflitos pessoais. "Fale objetivamente o porquê de ter sido escolhido e que essa é uma oportunidade para toda a equipe. Também seja aberto para receber comentários. Uma boa ferramenta é a empatia. Pergunte à outra pessoa como ela lidaria com a situação".

3. NÃO MUDE SUA PERSONALIDADE, MAS SE ADAPTE

transtorno-bipolar-psicose-maniaco-depressiva-alteracao-de-humor-tristeza-e-alegria-instabilidade-emocional-duas-caras-falsidade-transtorno-mental-1383764484153_615x300

Um funcionário brincalhão deve virar um chefe muito sério? Segundo os especialistas, não é necessário mudar. O melhor é manter sua personalidade, mas se adaptando às novas exgências do cargo. "Seus funcionários terão que entender que algumas brincadeiras não cabem em certas situações, como na frente de clientes, por exemplo".

O mesmo vale para um profissional muito sério ou fechado, já que um líder precisa ser comunicativo.

"Uma parte importante de ser um líder é ser autêntico. Na primeira conversa, ele deve posicionar como pretende lidar com o cargo e fazer os outros entenderem que não mudou, apenas as circunstâncias", afirma Powar.

4. PROCURE UM MENTOR

chefe-trabalho-escritorio-reuniao-1409168661765_615x300

Por mais preparado que esteja, um novo cargo sempre pode trazer insegurança.

"Autoconfiança é subjetiva. Cada um vai aprender a lidar com isso. Pode ser em terapia, coaching ou mesmo sozinho", afirma Waleska Farias. Ela afirma que uma boa tática é procurar alguém que já tenha passado pela mesma experiência para ser seu mentor.

Para evitar insegurança, também é importante lembrar que, se agora ocupa um cargo de liderança, é porque outros gerentes acharam que estava pronto para a posição, afirma Powar.

 

Fonte: http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2015/01/30/virou-chefe-e-nao-sabe-como-agir-com-a-equipe-siga-4-passos-de-transicao.htm

23fev/150

Como definir prioridades quando tudo e urgente

Com estruturas mais enxutas nas empresas, decisões que precisam ser tomadas assim que o novo ano começa e pendências do ano anterior, os profissionais se perdem em um mar de tarefas em que tudo parece urgente. Aí surge a dúvida (e o desespero): como priorizar quando tudo parece prioridade?

Por receber demandas e pressão de todos os lados, as pessoas não conseguem entender o que é importante de fato. “Muita gente aceita as prioridades alheias, achando que vai dar conta de tudo”, diz Andrea Piscitelli, professora da Fundação Instituto de Administração (FIA), de São Paulo, e consultora de gestão de pessoas.

O resultado é que, muitas vezes, as demandas que teriam maior importância na rotina do executivo ou da empresa são deixadas de lado. “Com as tarefas também se aplica o Princípio de Pareto, em que 20% das atividades são responsáveis por 80% dos resultados”, afirma o professor Paulo Campos, do Insper. “Saber encontrar esses 20% é fundamental.” Aprenda, a seguir, o que você precisa fazer para estabelecer prioridades e conseguir entregar suas metas.

Escolha um método

metodo

O primeiro passo para lidar com prioridades é organizá-las. Shane O’Grady, de 33 anos, diretor de tecnologia da Love Mondays, empresa que reúne avaliações de empresas feitas por funcionários, de São Paulo, criou uma metodologia para gerenciar os projetos que ele e sua equipe desenvolvem. “

Fizemos um misto de dois modelos”, afirma Shane. Um deles é o Scrum, que envolve a realização contínua de feedbacks, e o Kanban, usado em fábricas para sinalizar as etapas do fluxo de produção.

Compartilhe a agenda 

calendar

Sempre que  alguém da equipe de Sebastian Guzman, de 36 anos, consultor de programas de melhorias na Bosch, fabricante de peças automotivas, de São Paulo, quer marcar uma reunião, não precisa interrompê-lo para descobrir quando  estará disponível. “Deixo minha agenda aberta para que saibam quando estou sobrecarregado”, afirma Sebastian.

O ideal é que toda a equipe compartilhe seus compromissos. Assim, os chefes veem quem tem mais ou menos disponibilidade para lidar com eles.

 

Invente uma urgência

urgente

Prazos confortáveis atrapalham a conclusão de tarefas. Isso ocorre porque o ser humano calcula mal o tempo que perde numa atividade e acha que precisará de menos tempo do que o necessário.

O truque é eliminar a ilusão de agenda tranquila. Antes de decidir o que fazer primeiro, pense quais tarefas escolheria se tivesse metade do tempo disponível. Ou, se tivesse de trabalhar só 2 horas por dia. Os selecionados serão os compromissos mais importantes.

Peça ajuda

ajuda

A mente humana nem sempre é confiável quando o assunto é definir prioridades. “Damos um peso maior às atividades em que nos sentimos confortáveis”, diz Andrea, da FIA.

Outras tarefas que também precisariam receber atenção são deixadas de lado. Essa situação ocorre frequentemente quando a pessoa está muito envolvida em algum projeto.

O melhor é pedir ajuda a alguém que não tenha a mesma rotina, mas que entenda bem sua função. Essa pessoa terá um olhar imparcial sobre o que é importante.

 

Enxergue com clareza 

clareza

Diante de um emaranhado de tarefas, muitas vezes fica difícil hierarquizar prioridades. Por isso, conseguir ter uma visão do todo é um dos passos mais importantes.

A agenda não deve ser encarada como uma simples lista de compromissos, mas como uma ferramenta que permita visualizar o conjunto de atividades.

Para lidar com esse desafio de ter uma visão melhor das pendências, Shane, da Love Mondays, colocou em seu escritório um quadro com post-its coloridos, em que consegue ver com precisão o status das tarefas que ele e sua equipe têm pela frente. “Conforme cada etapa do projeto evolui, mudamos o post-it de posição nesse quadro”, diz Shane.

Uma rápida olhada ajuda a descobrir quais tarefas estão mais adiantadas e quais precisam de atenção extra.

 

Entenda a empresa

cultura organizacional

Para estabelecer prioridades, é necessário ter clareza sobre as metas da empresa ou da área. “Especialmente em ambientes mais dinâmicos, em que novas demandas surgem, o profissional tem de trabalhar olhando para a estratégia”, diz Paulo, do Insper.

É o que faz Sebastian, da Bosch. “Saber o que a empresa quer e precisa naquele momento é um dos aspectos que mais levo em conta”, diz ele.

A principal maneira de conseguir ter essa noção clara é perguntar ao chefe. Confira com ele se as prioridades que vêm sendo adotadas realmente são as tarefas mais importantes para o negócio.

Aprenda a recusar

dicas-dizer-nao-trabalho-noticias

Quando a vontade de agradar chefes e colegas fala mais alto do que a preocupação com a agenda, o resultado são tarefas em excesso. “O que é importante para os outros nem sempre é para nós”, diz Andrea, da FIA.

Antes de aceitar uma nova tarefa, analise sua agenda. Se achar que o pedido vai atravancar outros projetos mais importantes sem trazer um resultado compensatório, a melhor saída é negociar um prazo diferente ou, em último caso, encontrar uma forma de recusar a missão.

 

Fonte : http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/199/noticias/como-definir-prioridades-quando-tudo-e-urgente