BLOG GERANDO DEMANDA
1fev/160

Cinco dicas para uma lista de tarefas que voce realmente consiga seguir

Organização é uma qualidade essencial para o sucesso e crescimento de um negócio. Fazer uma lista de tarefas diariamente ajuda a não deixar nada para trás e ser mais produtivo. O problema é quando são tantas atividades que fica difícil conseguir riscar os itens dela.

Se esse é o seu problema, o site The List Producer (http://zip.net/bxsNz3 - endereço encurtado e seguro) elaborou cinco dicas que podem ajudá-lo na hora de fazer a lista e realizar as atividades:

1 - Seja específico

seja especifico

É possível que sua lista não esteja específica o bastante. Em vez de escrever "responder e-mails", coloque "responder para fulano sobre a festa". Isso faz com que a ação seja mais simples, dando uma sensação de dever cumprido ao poder riscá-la da lista.

2 - Priorize

prioridades

Revise os itens da lista e veja o que precisa ser feito primeiro. Selecione essas atividades mais urgentes e coloque em uma lista separada.

3 - Seja realista

seja realista

É preciso avaliar se as tarefas da lista são possíveis de ser cumpridas, ou estará fadado ao fracasso antes mesmo de começar as atividades.

4 - Divida

Hands and puzzle isolated on white background

Se a tarefa é muito grande ou trabalhosa, a divida em pedaços menores e faça um pouco por dia. Fazer listas menores aumenta a sensação de estar conseguindo realizá-la.

5 - Delegue

delegue

Ter muitas atividades pode significar que não está conseguindo delegá-las de forma adequada. Será que você precisa fazer tudo ou tem alguém que pode ajudar?

 

Fonte : http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2016/01/27/cinco-dicas-para-uma-lista-de-tarefas-que-voce-realmente-consiga-seguir.htm

 

14dez/150

A importancia do comportamento do vendedor durante a venda

bom comportamento

Vendedores se comportam com calma, humildade e competência em todos os momentos.

Ninguém quer comprar de alguém que está em uma montanha-russa emocional, física ou financeira. Ninguém, além de você, seu supervisor imediato e seus entes queridos, deve perceber que há desafios de qualquer espécie em sua vida.

A menos que sejam extremamente simpáticos, os clientes não se importam com que tipo de dia, semana ou mês você está tendo. Ao mesmo tempo, todas as pessoas do planeta são intuitivas. Elas captam as vibrações ou nuances de cada situação.

Tranquilize seus potenciais clientes de que eles foram sábios ao decidirem procura-lo, sábios ao considerar a compra de seu produto e sábios ao tomar uma decisão hoje, não importando o que esteja acontecendo em seu campo pessoal ou profissional.

Você não conseguirá fazer isso se estiver preocupado com o último telefonema que recebeu de seu cônjuge ou com a meta de vendas que ainda não foi atingida ou com a próxima coisa que você tem de fazer depois de encontrar-se com aquelas pessoas.

Vamos observar a área médica para ter um bom exemplo disso.

Se você se consulta com um bom médico, terá a impressão de que, quando está com ele, você é o paciente mais importante do mundo.

Tanto você quando ele podem saber que há uma sala de espera cheia de pessoas que precisam dos conhecimentos dele, mas por aqueles poucos minutos você está na sala a sós, e ele está totalmente concentrado em você.

Está ouvindo calmamente a sua série de sintomas. Ele pode estar balançando a cabeça em sinal de compreensão. Talvez esteja fazendo anotações e perguntas. Isso faz você se sentir importante.

Ele não lhe parece arrogante quanto ao seu conhecimento médico superior... ao contrário, parece ser um grande conselheiro, que está sendo sincero quanto à tentativa de fazer você se sentir melhor.

Você não começa a se perguntar se ele está tendo um dia ruim ou se a sua vida familiar é estável ou se o seu ramo de negócios está sendo afetado.

Nunca lhe passará pela mente que algo possa estar acontecendo a ponto de afetar o julgamento dele sobre a sua doença atual. Isso porque ele é um profissional treinado e competente.

Isso é o que você deve fazer com cada cliente.

Quando você os faz se sentir importantes e os ajuda a tomar decisões sábias, eles vão querer ajuda-lo em troca, provavelmente recomendando os seus serviços e, melhor ainda, comprando novamente de você.

Fonte : http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/a-importancia-do-comportamento-do-vendedor-durante-a-venda/91830/

17nov/150

10 licoes de negocios a aprender com Moises, de “Os Dez Mandamentos”

10 mandamentos

A novela "Os Dez Mandamentos", da Rede Record, conta a saga de Moisés para libertar o povo hebreu da escravidão e levar até a Terra Prometida, atual Jerusalém. Para isso, segundo a tradição, o profeta conseguiu manter seu povo unido numa travessia de 40 anos, que passou pelo deserto e atravessou o mar Vermelho. Segundo Márcio Belintani, teólogo e consultor do Sebrae-SP (Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa), respeitando o contexto histórico e religioso, é possível extrair 10 lições empreendedoras de sua atuação

Moises-guilherme-winterVISÃO | Moisés olhou em perspectiva para deixar um legado. Para isso, segundo a tradição, transmitiu seus conhecimentos. "Durante toda a sua trajetória, ele procurou preparar a sua sucessão e passou todos os seus ensinamentos a Josué que, ao final da jornada, entrou na Terra Prometida, enquanto Moisés pode vê-la apenas de longe, já que foi proibido por Deus de adentrar." Belintani, do Sebrae, diz que um bom líder não deve ter medo de passar seus ensinamentos e nem de preparar o seu sucessor. "Ele precisa saber que não é insubstituível e que vai precisar de alguém para assumir o seu lugar quando acabar a sua missão"

 

desertoOUSADIA | Quando Moisés entendeu o seu "chamado divino" para libertar o povo hebreu da escravidão, segundo a tradição, soube que seria necessário abrir mão do conforto do reino onde foi criado e enfrentar o Faraó, considerado Deus de dois mundos; além disso, precisaria arriscar a própria vida para iniciar uma peregrinação; o mesmo ocorre com o empreendedor, que precisa se arriscar, encarar obstáculos e acreditar nos ideais antes de abrir uma empresa, de acordo com Belintani, consultor do Sebrae

 

moises e jetroPREPARO | Antes de sair em peregrinação, Moisés passou por um período de formação pessoal e de aperfeiçoamento, segundo a tradição. "Ele buscou informações sobre o que acontecia no seu reino, sobre as estratégias do Faraó e começou a formar a seu ideal de reino", diz o consultor do Sebrae. Segundo ele, a busca por informação deve ser contínua para o empreendedor. "Ele deve fazer o seu plano de negócio, que pode ser aperfeiçoado a cada dia. Depois de estabelecida a empresa, ele não pode parar de se atualizar sobre o mercado e ver o que pode melhorar"

 

moises e faraoAUTOCONFIANÇA | Ao longo da sua trajetória, Moisés precisou negociar com o Faraó diversas vezes, e ele sempre optava pelo contato direto, ou seja, face a face, mesmo correndo risco por confrontar a autoridade máxima do Egito na época, segundo a tradição. "A relação face a face agrega valor e otimiza os resultados, por isso deve ser mantida", afirma o téologo e consultor do Sebrae Márcio Belintani

 

moises e hebreusMOTIVAÇÃO | Segundo a tradição, Moisés conseguiu mostrar para o povo hebreu que o período de escravidão deveria acabar e havia algo melhor reservado para ele: a Terra Prometida. Mas, para alcançá-la, todos teriam de brigar para conquistar a sua liberdade. "O mesmo vale para o empreendedor. Uma equipe motivada produz mais e traz mais resultados", afirma o consultor do Sebrae

 

osdezmandamentosPERSISTÊNCIA | Os obstáculos que apareceram ao longo da trajetória de Moisés não o impediram de libertar seu povo, segundo a tradição. "Sua fé o fez conseguir sobreviver ao deserto, às pragas e, ainda, convencer o povo sobre a existência da Terra Prometida", diz Belintani; segundo o consultor do Sebrae, o empreendedor também deve persistir. "Os primeiros anos de uma empresa são difíceis, mas um grande líder não pode desistir nunca. Ele precisa se manter forte para conseguir transformar o seu sonho em realidade"

moisés-e-arãoLIDERANÇA | Quando o movimento começou a tomar força, segundo a tradição, Moisés percebeu que não iria conseguir manter a liderança sozinho. Ele, então, delegou poder a 70 príncipes para poder organizar melhor o povo. "Um grande líder não pode achar que tudo depende dele. Ele deve aprender a delegar tarefas e fazer um bom planejamento para obter sucesso", declara o teólogo e consultor do Sebrae

 

osdezmandamentos4COMPROMETIMENTO | A lealdade de Moisés com seu povo, segundo a tradição, foi determinante para cumprir a missão. "Ele sabia que sem comprometimento com as pessoas sua jornada não seria atingida", diz o consultor do Sebrae. Para ele, o mesmo vale para o empreendedor. "É preciso colaborar com os seus funcionários para eles se sentirem mais seguros e atingirem um bom desempenho e dar total atenção ao cliente, que é o grande responsável pela existência do seu negócio"

images

FOCO | Moisés somente se tornou um grande líder para os hebreus e para o povo de Israel por ter foco e não se desviar do "chamado de Deus", segundo a tradição. "Ele foi íntegro e firme nas suas decisões para cumprir a sua missão", declara o consultor do Sebrae. Para ele, o empreendedor também precisa ser fiel aos seus ideais para cumprir as suas decisões

 

CTkLk-rW4AAPArISEGURANÇA | Na travessia do Mar Vermelho, quando as águas se abrem dando passagem a Moisés e ao povo, segundo a tradição, ele mostrou firmeza de decisão mesmo sendo uma ideia aparentemente impossível: "Diante do desafio apresentado e, perante o temor do povo, Moisés responde com propriedade e faz aquilo que acredita ser a melhor decisão", diz o teólogo e consultor do Sebrae Márcio Belintani

 

Fonte : http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/album/2015/11/17/10-licoes-de-negocios-a-aprender-com-moises-de-os-dez-mandamentos.htm#fotoNav=10

3nov/150

Viver sobrecarregado no trabalho pode ser fuga

Se esticar o expediente virou rotina na sua vida –e tudo bem, porque, ao chegar em casa, sente-se angustiado--, pode ser que de forma inconsciente esteja se refugiando de problemas pessoais na vida profissional.

As razões variam. "Uma pessoa com baixa autoestima pode ter a sensação de ser reconhecido apenas na carreira, uma vez que trabalha bastante", afirma Regiane Cristina de Souza, professora de psicologia do trabalho da UEM (Universidade Estadual de Maringá), no Paraná. Também pode ser uma maneira de não encarar relações pessoais problemáticas, diz a especialista.

Mas encontrar equilíbrio e se dedicar a atividades prazerosas que não estejam relacionadas ao trabalho é fundamental para promover bem-estar e qualidade de vida.

Confira estratégias para identificar se está exagerando na jornada profissional e se organizar melhor.

1 - Pare, pense e se avalie

pense
Reflita quantas horas da sua semana dedica a atividades que não envolvem o trabalho, como exercícios físicos, cinema, leitura e programas com a família e os amigos ? Quando há épocas do ano ou do mês que se trabalha mais, ok. Mas se todo o tempo não tem nada mais importante do que o trabalho, é preocupante?, diz Regiane.

2 - Encare os problemas

encare seus problemas
Em curto prazo, o trabalho dá sentido à vida e traz sensação de reconhecimento. Mas, mais cedo ou mais tarde, as situações pessoais que não foram resolvidas voltam à tona e talvez já não tenham mais solução. Portanto, esforce-se, assim como faz diante dos desafios profissionais, para não empurrar mais os seus problemas para debaixo do tapete.

3 - Organize a sua rotina

to do list
Planeje a sua próxima semana ainda na sexta-feira, com a ajuda de uma agenda, para que não tenha de fazer horas extras. Elenque os compromissos e o prazo estabelecido para cumprir cada um. Dessa forma, conseguirá realocar as atividades, sem prejuízos na jornada de trabalho, quando um imprevisto surgir. ?O planejamento favorece a organização da mente, que se reflete na vida pessoal e profissional?, afirma a professora.

4 - Estabeleça prioridades

Prioridades1

Com as tarefas listadas, priorize as que são mais importantes. ?Hoje em dia, nas organizações, todas as demandas são consideradas urgentes. Mas tem de avaliar: se tudo for urgente, nada mais é?, declara Rafael Chiuzi, especialista em psicologia do trabalho pela USP (Universidade de São Paulo).

5 - Delegue mais

delegue
O excesso de trabalho e de horas extras pode ser consequência da sua dificuldade em transferir as responsabilidades para outras pessoas da equipe. Se for o caso, terá de se forçar a confiar mais no desempenho dos pares. Saber trabalhar em grupo é uma competência apreciada pelas organizações e pode ajudá-lo a ter mais tempo para desenvolver projetos pessoais.

6 - Elimine distrações no trabalho

distraidos
Skype, WhatsApp, Facebook e outras redes sociais são vilões da produtividade, de acordo com Renata Nigri, especialista em gestão de negócios pelo IBMEC (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais), no Rio de Janeiro. O que não significa que você precisa parar de usar, mas, sim, separar momentos pontuais do dia para se dedicar a essas redes. Por exemplo, ao fim de cada tarefa cumprida.

7 - Converse com seu chefe

chefe
Quando se sentir sobrecarregado, convoque uma reunião com o seu superior e exponha o problema. Mas vá com calma, sem tom de cobrança, porque, por entregar resultados sempre, ele pode não ter percebido o excesso de trabalho ? Antes de reclamar, pense em alternativas para solucionar a questão?  fala Sylvia Ignacio da Costa, professora do curso de Gestão de RH da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo.

 

Fonte : http://mulher.uol.com.br/comportamento/listas/viver-sobrecarregado-no-trabalho-pode-ser-fuga.htm

26out/150

Concorrencia… Ameaca ou referencia?

Leader of competition. Concept. 3d illustration.

 

É inegável que, por várias vezes, a concorrência nos causa certos desconfortos.

Seja pelo fato de uma nova empresa atuar na nossa região, ações arrojadas de concorrentes já existentes, enfim, motivos é o que não nos faltam para ficarmos atentos em relação aos concorrentes.

Mas você já parou para pensar em como a concorrência pode nos ser útil?

Não estou falando só dos velhos jargões, do tipo: “Ah, obrigado aos meus concorrentes que me fazem acordar mais cedo”, “me fazem ser melhor a cada dia”, o que é também válido.

Quero dizer, o quanto a nossa concorrência, além dos benefícios citados acima, pode nos auxiliar, e até mesmo servir de referência em como sermos melhores e, se necessário, mudar a rota.

Imaginemos que você tem um concorrente tecnicamente “quase perfeito”.

Uma das saídas pode ser você “humanizar” mais seu atendimento.

Uma panificadora concorrente que faz o melhor pão francês da cidade: procure chegar o mais perto possível da qualidade do pão francês dela, mas busque, por exemplo, produzir o melhor pão doce.

Resumindo: já que você sabe ser impossível viver sem concorrentes, ao invés de enxergá-los como ameaça, pense em como criar diferenciais competitivos sobre os pontos fracos deles.

Mas lembre-se, divulgue da melhor maneira possível esses diferenciais, sem, é claro, falar mal da concorrência.

 

Não permita que sua mente seja seu maior concorrente.

 

Fonte : http://blog.reval.net/concorrencia-ameaca-ou-referencia/#.Vi4nkberTIV

11set/150

5 das Melhores Dicas de Vendas

venda

Recentemente eu estava conversando com um grupo de estudantes universitários a respeito de fazer carreira em vendas e eles me perguntaram quais as dicas que eu achava que eram as melhores dicas de vendas que eu já ouvi.

Aqui está o que eu disse:

1. Não é o que você diz; É o que o seu cliente acredita.

Você pode ter a melhor apresentação de vendas no mundo, mas se o cliente não acredita no que você está falando, então você não tem nenhuma chance. Aproveite o tempo da conversa para envolver-se com o cliente e ganhar a confiança dele.

Faça-lhes perguntas e deixe-os lhe dizerem seus desejos e necessidades. Sim, muitas vezes eles não sabem quais são suas necessidades e você vai ter que orientá-los mas se, no final, eles não acreditarem em você, então você não tem nenhuma chance.

2. Nunca vá para uma reunião de vendas sem saber como você irá fazer para fechar a venda.

Se você não sabe para onde está indo, então como você vai fazer para chegar lá? A parte mais comum deixada de fora de qualquer apresentação é o fechamento. Prepare ele desenvolvendo uma estratégia que o faça chegar até lá.

Isto não significa que você deva estar preparado para utilizar apenas uma técnica ou estratégia de fechamento. Pelo contrário, isto significa que você vai estar pronto para fechar usando várias técnicas diferentes com base no que o cliente lhe diz.

3. Dedique uma parte do seu dia, ou de sua semana, para fazer prospecção.

É comum encontrar muitos vendedores gastando tempo demais fazendo qualquer outra coisa que não prospectando clientes. A prospecção é a chave do seu negócio e o presente e o futuro das suas vendas. Se você não programar-se para fazê-lo você não irá fazê-lo, e assim irá comprometer todas as suas metas.

4. Acredite em si mesmo e no que você está fazendo para ajudar seus clientes.

Por que alguém deveria comprar alguma coisa de alguém, se nem a pessoa que está vendendo sequer acredita nele? Há uma razão pela qual os vendedores confiantes são mais bem sucedidos: a venda é uma relação de confiança entre as partes.

5. Seja presente e pontual.

Muitas vendas são perdidas porque o vendedor falta ao encontro ou deixa de acompanhar o cliente. É triste que algo tão básico e fácil, como a responsabilidade, poderia facilmente gerar mais vendas, mas é um fato.
Esta é a principal razão pela qual, quando as empresas estão à procura de vendedores, digo-lhes para encontrar candidatos que têm um histórico comprovado de auto-disciplina.

Enfim, se você estava procurando alguma técnica mágica de vendas, desculpe mas você provavelmente não irá encontrá-la aqui.
Porque, acho importante frisar, eu não acredito que haja qualquer técnica mágica.

Vendas é sobre ter a disciplina para demonstrar ao cliente que você se preocupa com eles e suas necessidades.

Eu vou dizer isso - com base nos milhares de vendedores que tive o privilégio de trabalhar e de treinar -, eu posso afirmar que, sem sombra de dúvida, se os próximos vendedores fizerem essas 5 coisas, e fizerem bem, eles terão uma alta probabilidade de alcançar sucesso.

Author: Mark hunter
Fonte: http://thesaleshunter.com/5-of-the-best-sales-tips-ever/

8set/150

6 formas de ser a pessoa mais popular do trabalho – garantidas pela ciencia

Carisma é extremamente importante em sua carreira. Você pode ser o cara mais eficiente do escritório, mas para seguir em frente vai precisar se conectar com mais pessoas, conversar e trocar ideias. Afinal, você não quer ser um Dwight, do The Office, certo? O melhor vendedor - mas completamente relapso em relação às conexões sociais.

Encontramos umas informações bacanas no site The Muse que podem ajudar você a seguir em frente e ser a pessoa mais popular do trabalho. Combine isso com sua eficiência (sabemos que essa você já tem) e você terá boas coisas pela frente em sua vida profissional.

1. Deseje se conectar

conectar
Você odeia ir naqueles eventos do trabalho em que precisa... CONVERSAR? Não é fácil se expor em reuniões e em coquetéis para um bando de desconhecidos. Vale lembrar que todo mundo lá está na mesma situação. Mas, mais importante que isso, vale saber que todo mundo tem uma história para contar. Se aquelas pessoas estão em um evento da sua área, vocês têm um assunto em comum. Faça perguntas, se mostre interessado. Todo mundo está nervoso - ao se apresentar você provavelmente irá deixar a vida do seu interlocutor mais fácil e não o contrário. Eles também estão ansiosos para fazer contatos.

2. Ouça

ouvir
Ok, você iniciou uma conversa - mas agora precisa se manter interessado. E parece fácil falar, mas o nosso cérebro tem de 50 a 70 mil pensamentos por dia - de 35 a 48 pensamentos por minuto! Pratique voltar "do mundo da Lua" sempre. Olhe pessoas nos olhos, sorria e, se precisar, use nossas dicas para impressionar pessoas que acabou de conhecer.

3. Por que tão sério?

empatia
Empatia é importante - e é mais fácil que pessoas se relacionem com outras que cometem erros, dão risada e possuem histórias humanas do que com o sr./sra. perfeitos. Lógico que você não vai contar sobre 'aquela vez em que você errou e quase levou a empresa à falência' - mas se mostre acessível.

4. Não subestime a importância do contato visual

contato visual
Se seu interlocutor perceber que você está olhando para outro ponto enquanto ele fala, seja para outra pessoa, para o telefone ou para os próprios pés, no caso de timidez (todos já passamos por isso), ele vai perder o interesse em fazer contato com você. Olhar nos olhos é extremamente importante, até para você compreender melhor as emoções de outras pessoas. Se você achar difícil fazer isso, vale começar em um ponto 'neutro': olhe para o ponto entre os olhos da pessoa, no 'começo do nariz'. Dessa forma, sua timidez é aplacada e seu interlocutor não se sente deixado de lado. Veja outra dica para contornar a timidez!

5. Lembre de informações sobre outras pessoas

nome das pessoas
Pelo menos enquanto estiver conversando com elas. Não existe nada mais desagradável do que quando alguém esquece o seu nome e você percebe, certo? Então não faça isso com os outros. Repita mentalmente o nome de quem você acabou de conhecer e, imediatamente após a apresentação, repita em voz alta - "muito prazer em te conhecer, fulano", por exemplo. Isso ajudará seu cérebro a firmar o conhecimento. Se você já conhece o interlocutor, se esforce para trazer detalhes pessoais sobre essa pessoa para a conversa. "Lembra daquela vez em que você me contou X?" e coisas do tipo. Ela irá se sentir valorizada.

6. Use sua linguagem corporal

linguagem corporal
Mais do que causar uma boa impressão nos outros, uma postura correta, o olhar focado e gestos e sorrisos bem colocados podem aumentar a sua auto estima.

 

fonte : http://revistagalileu.globo.com/Life-Hacks/noticia/2015/06/6-formas-de-ser-pessoa-mais-popular-do-trabalho-garantidas-pela-ciencia.html

4set/150

6 licoes de vida que precisamos aprender com Jiang Pu, do Masterchef por Fernanda Morelli

Jiang

Não é à toa que Jiang se tornou a queridinha dos telespectadores. Ela consegue manter a calma quando o programa está pegando fogo, leva tudo com bom humor, arranca sorrisos dos mais exigentes jurados e fala frases para lá de fofas. Ok, com pequenos erros de português, mas de uma sabedoria indiscutível!

Confira algumas lições que ela demonstrou na edição atual de Masterchef e que merecem ser adotadas por todos nós, para uma vida mais tranquila e feliz.

1. É preciso ter coragem para arriscar.

coragem-1

Jiang Pu se formou em estatística, pela USP, mas não se sentiu realizada nessa carreira. Aos 26 anos ela resolveu largar a profissão e arriscar tudo no mundo da culinária, algo que realmente a faz feliz. E parece que deu certo, não?

2. Saber manter a calma é uma dádiva.

2197

E ela já provou que faz isso como ninguém em diversas ocasiões do programa. Como no momento em que faltando poucos minutos para começar a fazer o prato da prova, Jiang começou a fazer movimentos de Tai chi chuan (arte marcial chinesa) para relaxar. E ainda teve bom humor e paciência para ensinar aos colegas de programa – com a técnica da melancia. Vale a pena rever esse momento para lá de fofo.

3. Ser autoconfiante é diferente de ser prepotente.

autoconfiança

Ela sabe aceitar elogios e faz questão de concordar que fez um bom trabalho. Mas Jiang faz isso de um jeito tão sincero (e fofo) que não passa pela cabeça de ninguém que ela está sendo exibida. Autoconfiança faz bem para o ego, para a autoestima e é necessário para ser valorizada e reconhecida.

4. Independente da situação, a melhor saída é encarar com bom humor – sempre.

Alimentos-do-bom-humor-blog-da-mimis-michelle-franzoni-destaque-702x336

Mesmo ao receber críticas difíceis de serem engolidas do chef Jacquin, Jiang consegue escutar e ainda completar com uma brincadeira ou um sincero sorriso – capaz de derreter qualquer jurado. Como neste episódio que ela derruba a cachaça – ingrediente necessário para o preparo correto do prato – e fala, com bom humor e tranquilidade: foi para Deus.

5. Não vale a pena se estressar à toa.

download

A resposta que ela deu à Ana Paula Padrão, quando a apresentadora perguntou se os competidores estavam preparados para a prova de eliminação diz tudo: “Não estou preocupada não. É que não adianta, a essa altura do campeonato, ficar pensando nisso. Tipo véspera de vestibular. Você já tinha decorado todas as fórmulas, mas ao chegar na prova, se você não lembrar, já era”, disse ela.

6. Fazer o que gosta (e fazer com amor) é a chave do sucesso.

fazer-o-que-gosta

Talvez esse seja o maior segredo de Jiang. O fato de ela estar, finalmente, fazendo o que gosta, faz com que ela encare todas as situações difíceis – de tristeza, de estresse e os problemas – como um aprendizado, da maneira mais leve possível.

Pois é, parece que temos muito que apender com essa chinesinha maravilhosa!

 

Fonte : http://www.linkedin.com/pulse/6-li%C3%A7%C3%B5es-de-vida-que-precisamos-aprender-com-jiang-pu-enrico-mondio

3set/150

5 dicas de linguagem corporal para se dar bem em uma negociacao

Todo trabalhador ou candidato à vagas de emprego já passaram ou passarão por negociações em suas trajetórias profissionais, seja para combinar um salário, prazos e demandas, ou outros tipos de acordo. Durante uma negociação, existem diversos cuidados que precisam ser tomados. Eles podem ser divididos entre os verbais e não verbais, entre os não verbais a linguagem corporal é um dos itens que mais podem contribuir positivamente.

Sendo assim, a chave do sucesso de uma negociação pode estar no que não se fala, mas sim em como utilizar a linguagem corporal para influenciar pessoas e ainda respaldar o discurso, trazendo mais veracidade para o conteúdo apresentado.

Confira, na sequência, as dicas que a psicóloga e supervisora de assessoria de carreira da Catho, Larissa Meiglin, elaborou e tenha mais efetividade em uma negociação, além de lhe auxiliar na interpretação da linguagem corporal de outras pessoas.

1. Aperto de mão firme

Handshake on white background

Um aperto de mão fraco pode demonstrar insegurança e causar uma impressão negativa. Dessa forma, o ideal é se empenhar para realizar o cumprimento de forma firme e segura, porém amigável.

Esse simples ato é algo que está gravado no subconsciente da maioria das pessoas, pois ele remete a tempos antigos, onde o aperto de mão significava que você não estava armado, logo, não era uma ameaça. Assim, um aperto de mão bem feito pode fazer qualquer negociação começar bem.

2. Olhos nos olhos

olhos nos olhos

 

Quando não temos muita confiança no que estamos dizendo ou nos sentimos constrangidos, é comum desviar o olhar. É uma maneira rápida que o nosso cérebro encontra para fugir dessa situação de confronto ou desconforto. Porém, ela é percebida rapidamente e, mesmo inconscientemente, passa uma imagem negativa de despreparo ou inferioridade.

Então, se você quer passar uma imagem confiante, exercite fixar o olhar nos olhos da outra pessoa. Nem sempre é fácil, pelo menos no começo, mas com a prática, será algo que será feito sem esforço. Se precisar olhar para outro lugar, tudo bem fazer isso de vez em quando, mas seja breve, se policie para não parecer que está divagando.

3. Respeito ao espaço pessoal de cada um

distancia

Para que cada pessoa se sinta confortável, existe um espaço pessoal que deve ser respeito, pois se invadido, é possível que a sensação seja exatamente essa, a de uma invasão de privacidade, causando um sentimento ruim de que barreiras importantes foram rompidas, o que não é nada interessante para uma negociação.

A dimensão de espaço pessoal varia de pessoa para pessoa e até mesmo de uma cultura para outra, mas, por via das dúvidas, é melhor não se aproximar demais. Após o cumprimento inicial, seja ele um aperto de mão (firme, mas amigável, como dito anteriormente) ou até mesmo um beijo no rosto, caso o relacionamento comporte, é recomendável dar uns dois pequenos passos para trás.

Essa mesma recomendação vale para pessoas que tem o hábito de conversar e constantemente pegar na outra pessoa. Se você possui esse costume, em uma negociação, se policie para que isso não aconteça, pois, contatos físicos indesejados podem por toda a negociação a perder.

4. Sinais com a cabeça

pensamento-positivo-do-negativo-thumb8559212

Além de olhar nos olhos, a sua cabeça também pode ser uma forte aliada em uma situação de negociação. Existem alguns movimentos que passam sensações positivas ao outro. Por exemplo, balançar a cabeça indicando que você concorda com o que está sendo dito pode ser muito estratégico, pois passa para a outra pessoa a impressão de que você aceita e valida o que está sendo dito. Essa sensação de validação é muito positiva, traz a pessoa para o seu lado.

Inclinar sutilmente a cabeça para um dos lados também pode ser uma boa pedida, pois a movimentação indica que você está atento ao que está sendo dito, que está interessado. Só tome cuidado para que os movimentos não sejam bruscos, eles têm que ser sutis e calculados, para passar a impressão de espontaneidade e não de impaciência.

5. Use a técnica do ‘Espelho’

rapport

Caso a pessoa com quem se está negociando utilize com certa frequência um determinado jeito de falar ou use expressões faciais específicas, escolha uma delas e experimente espelhá-las.

Essa dinâmica deve também ser muito sutil, para que não se parece em nada com um mímico, mas apenas para que o outro perceba em você algo que lhe parece familiar e se concretizar em uma sensação de afinidade, podendo ser esse um canal que permita uma receptividade ainda maior em relação a você e a proposta apresentada.

 

http://www.catho.com.br/carreira-sucesso/dicas-emprego/5-dicas-de-linguagem-corporal-para-se-dar-bem-em-uma-negociacao

31ago/150

A proposito: voce sabe aonde quer chegar?

Veleiro

 

Lucro + justiça social, competição + espiritualidade, eficiência + bem estar: atualmente, ter um propósito faz toda a diferença. E quanto antes você descobrir o seu, melhor para sua empresa. 

“Se um homem não sabe a que porto se dirige, nenhum vento lhe será favorável.” Sêneca

Sexta feira, final do dia e do mês. Em um momento de rara tranquilidade, você, empreendedor(a), está em sua sala, olhando para o horizonte e refletindo sobre o propósito desta semana e das três que a antecederam: elas foram absolutamente frenéticas. Reuniões e mais reuniões, relatórios intermináveis para preencher, processos para acompanhar, contratações para realizar, planejamentos para coordenar, viagens de um dia; tudo embalado pela trilha estridente do telefone, que não parou de tocar.

O telefone, aliás, toca nesse momento. Escandaloso, o aparelho soa e vibra ao lado da sua caneca de café. Ambos estão na sua mesa que, com objetos espalhados e torres de papel por todos os lados, parece a maquete de uma metrópole caótica. Tudo aparentemente sem propósito. Aparentemente.

Então, após um longo suspiro e um gole de café frio, você:

1) sorri satisfeito e atende o telefone

2) deixa que toque até parar, porque você não aguenta mais

Independentemente da resposta dada para a situação hipotética acima, ela tem a ver com uma questão fundamental não apenas para qualquer empreendedor, mas para qualquer pessoa. Tem a ver com saber onde queremos chegar. Tem a ver com o propósito – e é disso que este artigo vai tratar.

Nos corações e mentes das novas gerações

Hoje em dia, felizmente, o propósito como o conhecemos voltou à pauta. A vontade maior de realizar ou conquistar algo retornou à voga, e isso é tremendamente promissor. Afinal, é consenso, entre antropólogos e outros especialistas, que as novas gerações se distinguem cada vez mais das anteriores por buscarem fazer aquilo que realmente gostam, a arriscar por aquilo que as move de fato – de acordo com a consagrada máxima de que “dinheiro é consequência”.

Há uma série de explicações para este retorno triunfal. Novas possibilidades tecnológicas, ausência de guerras significativas, conjunturas econômicas favoráveis, etc; mas deixaremos esta contextualização a cargo dos especialistas.

Aqui, vamos refletir sobre o propósito no seu âmbito, caro empreendedor. E você verá que, por mais que pareça uma discussão um pouco abstrata, é uma reflexão fundamental para qualquer atividade com a qual você venha a se envolver.

Não sei se tenho um propósito

Será? Pode até ser que você tenha, mas que utilize outro nome ou expressão: objetivo, finalidade, desígnio, etc. De toda forma, a nosso ver propósito é um termo mais exato, pois expressa justamente aquela vontade imensa que sentimos de realizar/alcançar algo.

TER UM PROPÓSITO CLARO NA VIDA É SABER ONDE SE QUER CHEGAR – E, SOBRETUDO, DISPOR DA ENERGIA NECESSÁRIA PARA ENFRENTAR A TRAJETÓRIA, QUE CERTAMENTE NÃO SERÁ FÁCIL.

Tomemos como exemplo a situação hipotética do início do texto. Claro que se trata de uma suposição; porém, se você ainda não tem um propósito bem definido, é provável que opte pela segunda opção. Afinal, quando você não tem muita ideia do que pretende realizar, nenhuma atividade será realmente de seu contento. Nenhum vento será favorável, como propôs o pensador romano Sêneca na epígrafe deste artigo.

Então, nas situações-limite – e elas são muito frequentes na vida de um empreendedor –, o mais provável é que você, irritado e infeliz, sinta vontade de mandar tudo às favas, quando deveria ser o contrário.

Mas como definir o meu propósito?

Não existe uma fórmula definitiva. Afinal, ele é o seu propósito; é uma questão muito íntima e subjetiva, com a qual cada um tem seu próprio jeito de lidar. Às vezes o propósito surge por eliminação – após nos envolvermos em uma série de atividades, enfim o descobrimos; às vezes já temos a certeza desde a mais tenra idade; às vezes o propósito surge por inspiração de alguém que você admira.

De toda forma, o fato é que um propósito não é identificado sem que façamos, em dado momento de nossas vidas, algumas perguntas incômodas a nós mesmos: qual é o sentido de viver para trabalhar? Qual o propósito de dedicar pelo menos um terço – geralmente muito mais – da minha vida a atividades cujo sentido desconheço? E talvez a mais temida de todas: sou feliz com o que faço?

“O meu propósito é o dinheiro”, você pode responder. Claro, um propósito mais do que legítimo. Porém, refazemos a pergunta: qual o propósito de ir em busca desse dinheiro? “Conforto”, “casa própria”, “viagens”, “educação de qualidade para meus filhos…”; perfeito. Mas – e pedimos perdão pela insistência –, para que tudo isso?

As perguntas são mesmo incômodas; mas as respostas podem te ajudar a ter muito mais clareza, tanto na vida quanto no momento de se posicionar diante dos clientes.

É SOMENTE AO DESCOBRIR O SEU PROPÓSITO QUE VOCÊ PODERÁ REALMENTE OFERECER ALGO AO MERCADO, DIFERENCIANDO-SE DAQUELES QUE APENAS QUEREM ALGUMA COISA DELE.

Ter um propósito é ter algo a entregar de fato

Em relação aos negócios, quando o seu propósito é bem definido, é muito provável que o da sua empresa também seja. Em consequência disso, fica muito mais fácil promover uma oferta de valor para o mercado, porque você conseguirá transmitir confiança naquilo que oferece. Se algum cliente não quiser, sem problema; outro há de querer. E aí, sim, a prosperidade financeira será mera consequência destes valores intangíveis que você oferece.

Por outro lado, se você ainda não identificou o seu propósito, é importante que comece a refletir. Primeiro porque, se for somente dinheiro, é mais difícil passar a confiança necessária para os consumidores. E segundo porque, com um propósito, a vida fica certamente muito mais leve, e os desafios que ela impõe, mais suportáveis.

Empreendedorismo: um propósito e tanto

Para concluir, algumas palavras sobre a dimensão do propósito empreendedor em termos econômicos e sociais aqui no Brasil.

Uma última pesquisa realizada pelo GEM (Global Entrepreneurship Monitor) mostrou que no Brasil há, hoje, aproximadamente 27 milhões de pessoas envolvidas ou em processo de criação de negócios por conta própria. E estes 27 milhões são responsáveis por mais de 60 milhões de empregos formais e informais – ou seja, a mais de 75% da massa trabalhadora em atividade. De acordo com este artigo do portal Administradores, o Brasil aparece em terceiro lugar no ranking de 54 países do estudo. Uma outra pesquisa, realizada pela Cia. de Talentos, indica que 56% dos jovens entrevistados pretendem abrir um negócio por conta própria.

São números assombrosos, sem dúvida; mas que apenas comprovam o fato de que cada vez mais pessoas vão em busca de seus propósitos, transformando seus sonhos em negócios, e transformando assim também a vida de outras pessoas e, enfim, da nossa sociedade.

Alguma recomendação de leitura mais aprofundada?

Claro. Recentemente, o jornalista Alexandre Teixeira lançou o livro De dentro para fora: como uma geração de ativistas está injetando propósito nos negócios e reinventado o capitalismo.

Na obra, Teixeira cita exemplos de empreendedores que lutam para conciliar lucro e justiça social, competição e espiritualidade, eficiência e bem estar; enfim, como procuram um caminho mais sustentável e um sentido mais profundo sem abandonarem o mercado. O texto pode ser muito inspirador neste momento em que você talvez busque seu próprio propósito.

Então, boa leitura — e boa busca!

Afinal, todos merecemos marcar a primeira opção naquela hipótese lá de cima.

Leia mais em Endeavor @ https://endeavor.org.br/proposito/